Maior reforma tributária da história da Índia entra em vigor | EXAME.com

O premier afirmou que o novo sistema ajudará a acabar com o dinheiro sujo e a corrupção, além de ajudar os mais pobres

Por EFE

access_time 30 jun 2017, 17h16

Nova Délhi – A maior reforma tributária da história da Índia, um imposto indireto comum para seus 29 estados e sete territórios da União, entrou em vigor na meia-noite desta sexta-feira durante uma sessão parlamentar com a presença dos mais altos cargos do governo, mas da qual esteve ausente a oposição.

“O alcance do GST (Imposto de Bens e Serviços) não se limita ao sistema financeiro. Agora a Índia começará a mover-se em uma nova direção”, declarou o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, pouco antes de apertar um botão com o qual lançou simbolicamente a reforma.

Modi, que qualificou o GST como uma demonstração de “federalismo cooperativo”, afirmou que o novo sistema ajudará a acabar com o dinheiro sujo e a corrupção, beneficiará os mais pobres e facilitará a integração econômica dos estados.

“A antiga Índia estava fragmentada economicamente, a nova Índia criará um imposto, uma nação e um mercado”, sentenciou, por sua parte, o ministro de Finanças, Arun Jaitley, ao classificar a implementação do GST como um “acontecimento histórico”.

O titular de Finanças defendeu que a reforma dificultará a evasão fiscal sem comprometer a soberania dos estados e agradeceu a todos os atores implicados em sua aprovação, ao lembrar que passaram 15 anos desde que o imposto foi discutido pela primeira vez.

Fachadas iluminadas e os acordes do hino nacional marcaram o início de uma cerimoniosa sessão da qual participaram ministros, parlamentares e líderes do mundo empresarial, entre eles o presidente emérito do conglomerado indiano Tata, Ratan Tata.

A grande ausente da noite foi a principal legenda opositora, o Partido do Congresso, que defende que as taxas contempladas não superem 18%, frente ao 28% implementado, entre outros pontos de desacordo.

Vários partidos opositores se abstiveram também de assistir ao evento na histórica Sala Central do Parlamento.

Horas antes da cerimônia, milhares de associações de comerciantes e pequenas e médias empresas aderiram a uma greve contra o GST convocada em 25 estados do país pela Associação de Comércio da Indústria da Índia (BUVM), segundo a qual suas 17.000 organizações filiadas tomaram parte no protesto.

Mais de 1.200 artigos e cerca de 500 serviços estarão sujeitos ao Imposto de Bens e Serviços, uma taxa indireta única para 1,2 bilhão de pessoas e uma economia que cresce a 7%, mas na qual fazer negócios é ainda muito complicado.

O GST substitui 17 impostos estatais e centrais que ficam reduzidos a um com cinco categorias de entre 0% e 28%, dependendo do tipo de produto e serviço.

O imposto é obrigatório para aquelas empresas com um faturamento superior a 2 milhões de rupias ou US$ 30.000.

Fonte Oficial: http://exame.abril.com.br/economia/maior-reforma-tributaria-da-historia-da-india-entra-em-vigor/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!