Jornal do Comércio >> Juros fecham com sinal de baixa, com perda de força do dólar e aposta em IPCA

Os juros futuros fecharam a quinta-feira (6) entre estabilidade e leve queda, tendo se afastado das mínimas que foram renovadas em sequência ao longo da tarde. Após passarem a manhã sob pressão, houve alívio na etapa vespertina, passado o leilão de títulos prefixados do Tesouro Nacional, que tradicionalmente adiciona prêmio de risco aos juros. A ponta curta esteve mais influenciada pelas expectativas em relação ao IPCA de junho, que o IBGE divulga amanhã e que deve mostrar a primeira deflação mensal em 11 anos. Os longos, que avançavam pela manhã, passaram a cair à tarde acompanhando a perda de força de alta do dólar ante o real, a despeito do clima de cautela no exterior.

Ao final da sessão regular, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2018 (237.165 contratos) fechou em 8,80%, de 8,81% no ajuste de ontem; a do DI janeiro de 2019 (239.915 contratos) caiu de 8,76% para 8,74%; e a do DI janeiro de 2021 (228.100 contratos) fechou em 9,96%, de 9,98% no ajuste de ontem. A taxa do DI para janeiro de 2023 (79.625 contratos) caiu de 10,50% para 10,47%.

“O dólar, que chegou de manhã a bater em R$ 3,32, perdeu força à tarde e isso trouxe alívio para as taxas”, afirmou o estrategista-chefe do Banco Mizuho, Luciano Rostagno. Também a expectativa com relação ao IPCA amanhã estimula o fluxo vendedor nas taxas. Pesquisa realizada pelo Projeções Broadcast aponta expectativas de queda para o índice, entre 0,29% e 0,07%, com mediana negativa em 0,18%.

O ambiente político segue cercado de dúvida e desfavorável para o governo, em meio a especulações em torno de acordo de delação premiada por parte do ex-deputado Eduardo Cunha e do operador de propinas Lúcio Bolonha Funaro, que elevaria a chances de aceitação da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara. Se isso resultar na saída do Temer e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumir o País, o mercado não vê esse cenário como de todo ruim. “Temer está perdendo força e as chances de ser destituído aumentaram, mas, na cabeça do mercado, se Maia assumir, a equipe econômica será a mesma e, ainda, a chance de as reformas andarem cresce. Mas o ambiente ainda é de muita incerteza”, afirmou Rostagno.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/07/economia/572350-juros-fecham-com-sinal-de-baixa-com-perda-de-forca-do-dolar-e-aposta-em-ipca.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!