Valor >> Colegiado da CVM aceita que Petrobras use a contabilidade de hedge

SÃO PAULO  –  O colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) decidiu nesta terça-feira, por dois a votos a um, aceitar o recurso da Petrobras contra a decisão da área técnica da autarquia que havia determinado a republicação dos balanços da companhia desde 2013, retirando os efeitos da contabilidade de hedge.

O diretor relator Henrique Machado e o diretor Pablo Renteria votaram a favor da tese da empresa, enquanto o presidente da CVM, Leonardo Pereira, se alinhou à argumentação da área técnica. O diretor Gustavo Borba não participou da reunião, mas ele tem se declarado impedido de decidir sobre temas relativos à Petrobras.

Ao adotar a contabilidade de hedge, uma opção contábil, a Petrobras difere no tempo o efeito da variação cambial sobre a dívida em dólar na demonstração de resultados.

O registro é feito de forma apartada numa conta do patrimônio líquido e os efeitos vão a resultado de forma paulatina, conforme as exportações são realizadas.

Se tivesse que republicar seus balanços, o principal impacto prático para os acionistas seria um possível pagamento de dividendos sobre o resultado de 2016, que deixaria de ser um prejuízo e se tornaria lucro.

Fonte Oficial: http://www.valor.com.br/empresas/5034926/colegiado-da-cvm-aceita-que-petrobras-use-contabilidade-de-hedge.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!