Jornal do Comércio >> Dólar se enfraquece com dados fracos nos EUA e cenário político mais ameno

O dólar seguiu em queda na primeira hora de negociação desta sexta-feira (14) ampliando as perdas depois de dados fracos dos EUA. Tanto a inflação quanto as vendas no varejo frustraram as expectativas dos analistas e reforçaram a ideia de que um aumento dos juros nos Estados Unidos pode ser mais devagar do que o mercado projeta.

O índice de preços ao consumidor (CPI) ficou estável em junho ante maio, contrariando a previsão de alta de 0,1%. O núcleo do CPI subiu 0,1%, abaixo da previsão de +0,2%. Além disso, as vendas no varejo caíram 0,2% em junho ante maio, enquanto a estimativa era de avanço de 0,1%. Ambos reforçam a ideia de que o Federal Reserve (Fed) pode aumentar os juros mais lentamente do que o mercado projeta.

“A agenda americana de hoje tem força para mexer na moeda tanto no exterior quanto internamente”, apontou o diretor da Correparti, Jefferson Rugik. Além da inflação nos EUA e dados de varejo, será conhecido a confiança do consumidor americano, às 11h.

O diretor da corretora Mirae, Pablo Spyer, destaca que uma junção de fatores tem contribuído para a fraqueza do dólar. Entre eles, além da vitória de Temer na CCJ, está a redução da possibilidade do ex-presidente Lula se candidatar a eleições de 2018 e a chance de o Federal Reserve (Fed) subir menos vezes os juros nos EUA neste ano e no próximo.

Às 10h28min (de Brasília), o dólar à vista renovava mínima aos R$ 3,1921, queda de 0,53%. O dólar futuro para agosto caía 0,65%, aos R$ 3,2020.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/07/economia/573809-dolar-se-enfraquece-com-dados-fracos-nos-eua-e-cenario-politico-mais-ameno.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!