Jornal do Comércio >> Bolsas da Europa fecham em queda, influenciadas por euro valorizado e bancos

Os principais índices acionários da Europa fecharam majoritariamente em queda nesta terça-feira, 18, em meio a um euro valorizado e expectativas em relação às negociações da saída do Reino Unido da União Europeia (UE), o Brexit, além de indicadores de inflação daquele país. O indicador ZEW de sentimento econômico, que registrou queda para 17,5 em julho, de 18,6 em junho, também contribuiu para um ambiente menos propenso a ativos de risco. Todos esses fatores fizeram o índice pan-europeu Stoxx-600 cair 1,11%, para 382,58 pontos.

No Reino Unido, o índice de preços ao consumidor (CPI) subiu 2,6% em junho ante igual mês do ano passado, o que representou uma desaceleração se comparado aos 2,9% registrados em maio. Mesmo diminuindo o passo, a inflação britânica continua acima da meta de 2% do Banco da Inglaterra (BoE, nas sigla em inglês).

O dado provocou queda da libra frente o dólar, mas não o suficiente para estimular o apetite por risco. Pesou sobre o FTSE 100 o setor bancário, contaminado pelo balanço do Goldman Sachs, que revelou queda de 3% na receita de investimentos do segundo trimestre, e o índice fechou em queda de 0,19%, aos 7.390,22 pontos. Entre os destaques negativos estão o Barclays, com recuo de 1,91%, e o Royal Bank of Scotland, com perda de 0,99%.

Com o resultado do ZEW sugerindo que os investidores estão menos confiantes em relação ao terceiro trimestre, o DAX caiu 1,25% (12.430,39 pontos), com parte dos investidores realizando lucros. O Deutsche Bank também foi influenciado pelo balanço do Goldman Sachs e fechou em queda de 2,51%, a maior do índice. Nesta quarta-feira, 19, os investidores permanecem atentos às conversas sobre o Brexit e também à reunião de política monetária do Japão.

A força do euro ante o dólar afetou os exportadores franceses, o que refletiu no CAC-40. O índice recuou 1,09%, para 5.173,27 pontos. As ações dos bancos locais, assim como no Reino Unido e na Alemanha, também caíram. O BNP Paribas recuou 1,67%; o Société Generale perdeu 1,64%.

Com boa parte do índice FTSE Mib sob forte influência bancária, o desempenho da Bolsa de Milão seguiu seus pares, terminando em queda de 0,59%, aos 21.358,20 pontos. Ficaram entre os destaques negativos o Mediobanca (-2,05%), o UniCredit (-1,77%) e o Banco BPM (-0,83%).

Em Madri, o Urbas Grupo Financiero teve forte queda de 5,26% e, junto com o Santander, que caiu 0,89%, liderou a movimentação do índice Ibex 35. Ele registrou queda de 1,19%, para os 10.524,50 pontos.

Lisboa destoou dos outros índices, com o PSI 20 fechando em alta de 0,30%, aos 5.308,44 pontos. O melhor desempenho foi justamente do Banco Comercial Portugues, que subiu 2,66%. 

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/07/economia/574391-bolsas-da-europa-fecham-em-queda-influenciadas-por-euro-valorizado-e-bancos.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!