Valor >> Ibovespa sobe pelo terceiro pregão puxado por commodities

SÃO PAULO  –  A alta no preço das commodities fez com que o Ibovespa marcasse o terceiro pregão consecutivo de alta. O índice subiu 0,87% aos 65.668 pontos, com giro financeiro de R$ 5,7 bilhões, um pouco acima do movimento dos últimos dias, mas ainda abaixo da média diária do ano, que é de R$ 6,1 bilhões. De acordo com operadores, a alta do índice só não foi maior porque as ações de empresas do setor de consumo e imobiliário fecharam em baixa.

O preço do minério de ferro subiu 2,39% para US$ 69,48 a tonelada, em Qingdao, na China. Aqui, as ações PNA da Vale subiram 4,67% e os papéis ON tiveram ganho de 5,08%. A Vale anuncia o resultado financeiro do segundo trimestre na quinta-feira.

Os contratos futuros de petróleo WTI subiram 3,28% para US$ 47,85 o barril e as ações da Petrobras tiveram alta. Os papéis PN da estatal subiram 2,64% e as ações ON ganharam 2,53%. Os investidores estão mais otimistas com a decisão da Opep (Organização dos Países Produtores de Petróleo) de sinalizar a intenção de punir os membros que não cumprirem o acordo de limitação das quantidades de venda do combustível, o que deve sustentar os preços do petróleo no médio prazo.

As ações do sistema financeiro também subiram, com destaque para os papéis preferenciais do Bradesco, que tiveram alta de 1,63%. O banco anuncia o resultado financeiro na quinta-feira e a expectativa dos investidores é de que haja uma redução na Provisão para Devedores Duvidosos (PDD). Em relatório divulgado hoje, a equipe de analistas do Credit Suisse informa que o Bradesco é sua ação preferida. A recomendação para o papel é de compra com preço-alvo elevado para R$ 38 – antes era R$ 36,36. A previsão para o lucro do banco neste ano subiu 1,9% em função de maior controle de custos e menores despesas operacionais.

Por outro lado, as ações da Fibria recuaram 2,21%, seguidas pelos papéis da Hypermarcas, com queda de 1,41% e RaiaDrogasil, com ganho de 2,12%, o que limitou os ganhos do Ibovespa.

A Fibria divulgou hoje o relatório financeiro do segundo trimestre do ano. A empresa teve prejuízo de R$ 262 milhões, revertendo um lucro de R$ 743 milhões um ano antes, apesar de ter apresentado melhora no desempenho operacional. “Os investidores não gostaram do fato de a empresa ter afirmado que estuda uma eventual aquisição da Eldorado Brasil, que está endividada”, diz um operador.

Em relatório distribuído a clientes, a equipe de analistas do Bradesco BBI, liderada por Luciano Campos, revisou a recomendação para as ações da Hypermarcas de compra para neutra. O preço-alvo para o papel passou de R$ 34 para R$ 33 para os próximos 12 meses. O banco também informou que manteve a recomendação neutra para RaiaDrogasil, com preço-alvo em R$ 81. “Continuamos cautelosos com o possível declínio da margem de lucro neste ano e desaceleração do mercado farmacêutico”, escreveu Campos, em relatório.

Depois de subir ontem, as ações da Cyrella recuaram 2,43%, em um movimento de realização de lucros. O papel havia subido com a perspectiva de dados operacionais positivos no segundo trimestre. No ano, a ação ainda acumula alta de 18,37%, com a perspectiva de que a redução dos juros pode aumentar as vendas do setor. As demais ações do segmento também fecharam m baixa. Os papéis ON da MRV recuaram 1,63%.

Fora do Ibovespa, as ações da Biotoscana, que começaram a ser negociadas hoje, subiram 0,12% a R$ 235,42. Os papéis ON da Via Varejo subiram 7,06% e as ações PN tiveram alta de 4,64%. A empresa registrou aumento de 13,5% nas vendas líquidas no segundo trimestre do ano, para R$ 6,15 bilhões.

No dia 1º de agosto, a B3 vai divulgar a primeira prévia da carteira do Ibovespa que vai vigorar entre setembro e dezembro. De acordo com um relatório do BTG Pactual, distribuído a clientes e produzido pela equipe de analistas liderada por Carlos Sequeira, a única mudança no índice deve ser a inclusão das unit da Taesa, com 0,40% de peso. Nenhuma ação deve deixar o Ibovespa.

De acordo com o relatório, as ações PNA e ON da Vale devem ser as maiores ganhadoras na nova composição do Ibovespa, assumindo a quinta e sexta, respectivamente, posição mais relevante do Ibovespa. As ações ON da Ambev, ON da Ultrapar e ON do Bradesco são as mais cotadas a perder posições no índice.

A equipe de analistas do Citi, liderada por Fernando Siqueira, também aposta na entrada da Taesa no Ibovespa. Os analistas também consideram possível o ingresso da Sanepar no índice. Já as ações da Copel e Marfrig são possíveis ações que podem deixar o Ibovespa.

Fonte Oficial: http://www.valor.com.br/financas/5053406/ibovespa-sobe-pelo-terceiro-pregao-puxado-por-commodities.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!