Valor >> Eletrobras: BTG Pactual concluirá em agosto modelagem de venda de SPEs

RIO  –  O banco BTG Pactual deverá concluir em agosto o trabalho de avaliação de valor e a modelagem de venda de um grupo de parques eólicos e linhas de transmissão da Eletrobras, afirmou na noite desta quinta-feira o presidente da companhia, Wilson Ferreira Júnior, após participar de evento na FGV, no Rio de Janeiro.

Segundo o executivo, conforme comunicado divulgado ao mercado na última sexta-feira, a Eletrobras tem uma lista de 74 sociedades de propósito específico (SPEs), em que possui participação minoritária, que pretende vender. Além dessas, lembrou Ferreira Jr, a empresa também pretende vender seis outorgas de projetos de eólicas e linhas de transmissão da qual é acionista majoritária.

A ideia, conforme já divulgado no plano de negócios 2017-2021 da empresa, é vender esses ativos em blocos ou pacotes, para gerar maior valor com o negócio.

O BTG Pactual, contou ele, foi contratado em maio para iniciar os trabalhos de avaliação de valores e definição da modelagem de venda.

“O BTG [Pactual] foi contratado em maio. Eles têm um compromisso conosco em agosto”, afirmou Ferreira Jr. a jornalistas, após participar de evento na FGV, no Rio.

Com relação à privatização das seis distribuidoras da empresa no Norte e Nordeste, Ferreira Jr. contou que está prevista uma reunião com o BNDES na próxima segunda-feira para tratar do assunto. Ele reafirmou que a meta é privatizar as distribuidoras ainda este ano.

Descotização

O presidente também afirmou na noite desta quinta-feira que a chamada “descotização” e posterior venda de hidrelétricas da Eletrobras pode gerar valor positivo para a companhia.

Segundo ele, porém, a elétrica ainda vai analisar com cautela a proposta que será definida pelo governo para a descotização das usinas, para decidir se irá aderir, ou não.

“A descotização pode trazer um valor positivo à companhia”, disse Ferreira Jr.. “Para nós, que hoje temos cotas com custo operacional maior que a receita, passamos a ter uma opção”, completou.

Ferreira Jr. explicou que os custos operacionais das hidrelétricas da Eletrobras em regime de cota superam, em média, 40% o valor de remuneração desses ativos. “A empresa opera hoje com custos maiores do que ela recebe. Estamos trabalhando para reduzir o custo”, afirmou.

Ferreira Jr. lembrou que a proposta do governo ainda não está detalhada, nem concluída. A proposta ainda está na fase de consulta pública.

O executivo acrescentou que, depois de definida a proposta do governo, a empresa vai ˜fazer a conta” para decidir se valerá a pena ou não descortizar as usinas. O cálculo levará em consideração o percentual de recursos do bônus de outorga do leilão dessas usinas que será destinado à Eletrobras.

“O conselho [de administração] tem obrigação de avaliar [a proposta] economica e financeiramente à luz da situação da empresa”, ressaltou Ferreira Jr.

Nesta sexta-feira, o conselho de administração da Eletrobras debate, em reunião, que contribuições a companhia poderá enviar ao ministério de Minas e Energia no âmbito da consulta pública.

Questionado pela reportagem, porém, se a decisão sobre aderir à descotização será do conselho de administração ou dos acionistas da Eletrobras, por meio de assembleia, na qual a União é majoritária, o presidente da empresa afirmou que “não está nada definido ainda. Nem sei [dizer]”.

O executivo sinalizou ainda que a proposta de descotização, ao contrário do que se comenta no mercado, pode ser benéfica ao consumidor. Isso porque hoje, o risco hidrológico dessas usinas pertence ao consumidor. Ou seja, na prática, se elas produzirem menos energia que o previsto, o custo de compra de energia no mercado de curto prazo para “zerar” a conta é repassado ao consumidor.

Durante a apresentação na FGV, Ferreira Jr. disse que, embora o preço médio da energia das usinas em cotas seja de R$ 40 por megawatt-hora (MWh), o custo ao consumidor hoje tem sido de R$ 200/MWh, justamente por esse descasamento entre o que as usinas estavam previstas de fornecer e o que de fato foi produzido. Esse impacto ao consumidor, afirmou ele, é da ordem de R$ 1 bilhão.

“O processo de descotização pode trazer ao consumidor um benefício que hoje ele não percebe que ele não tem”, completou.

A Eletrobras tem cerca de 14 gigawatts (GW) de capacidade de usinas sob o regime de cotas que poderão ser leiloadas, de acordo com a proposta do ministério.

Fonte Oficial: http://www.valor.com.br/empresas/5057648/eletrobras-btg-pactual-concluira-em-agosto-modelagem-de-venda-de-spes.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!