Jornal do Comércio >> Bolsas da Europa fecham em alta, com emprego dos EUA e dado corporativo no radar

Os mercados acionários europeus fecharam em alta nesta sexta-feira (4) ainda de olho em balanços corporativos e no relatório de emprego (payroll) dos Estados Unidos, cujos resultados vieram acima do esperado.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,97% (+3,68 pontos), aos 382,61 pontos. Na semana, os ganhos foram de 1,13%.

O Departamento do Trabalho dos EUA divulgou no período da manhã que a economia americana gerou 209 mil postos de trabalho no mês passado, superando a expectativa de analistas consultados pela Dow Jones Newswires, que previam criação de 180 mil empregos. Já o salário médio por hora dos trabalhadores do setor privado ficou em US$ 26,36 em julho, alta de 0,34% ante o mês anterior, em um resultado também acima da expectativa (+0,3%).

Os dados melhores que o esperado fizeram com que o dólar voltasse a ganhar força ante outras moedas principais, como o euro e a libra, ajudando as ações de exportadoras europeias. Além disso, uma melhora da economia americana pode implicar em uma melhora em outras economias principais, como a da zona do euro e a do Japão.

Único indicador divulgado no dia, as encomendas à indústria da Alemanha registraram alta de 1% em junho na comparação com o mês anterior, segundo dados divulgados pelo Ministério de Economia do país. Analistas consultados pelo Wall Street Journal previam avanço menor nas encomendas, de 0,5%.

Em Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,49%, aos 7.511,71 pontos. Na semana, os ganhos foram de 1,95%. Nesta sexta-feira, o Royal Bank of Scotland (RBS) divulgou que teve lucro líquido de 939 milhões de libras no primeiro semestre de 2017, revertendo prejuízo de 2,05 bilhões de libras em igual período do ano anterior. O RBS fechou em alta de 1,95% e deixou outros bancos também no azul, como o HSBC (+1,02%) e o Barclays (+0,89%).

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX avançou 1,18%, aos 12.297,72 pontos. Na semana, os ganhos foram de 1,11%. Com o euro mais fraco, ações de montadoras se valorizaram, como Daimler (+1,27%) e BMW (+2,48%). Entre os bancos, o Deutsche Bank subiu 2,36% e o Commerzbank teve avanço de 3,47%.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 1,42%, aos 5.203,44 pontos e, na semana, subiu 1,40%. Bancos também se destacaram, com o Crédit Agricole subindo 1,05%; o BNP Paribas avançando 1,34% e o Société Générale ganhando 2,27%.

Já em Milão, o índice FTSE-Mib fechou em alta de 0,65%, aos 21.935,79 pontos. Intesa Sanpaolo (+0,69%) e Telecom Itália (+0,57%) ajudaram nos ganhos do dia. Na semana, o índice subiu 2,36%.

O índice Ibex-35, de Madri, avançou 1,04%, aos 10.658,40 pontos. Na semana, os ganhos foram de 1,16%. Já em Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 1,43%, aos 5.253,33 pontos, com ganhos semanais de 1,56%.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/577799-bolsas-da-europa-fecham-em-alta-com-emprego-dos-eua-e-dado-corporativo-no-radar.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!