Jornal do Comércio >> Dólar sobe ante real no embalo do payroll e apostas em alta de juro nos EUA

O dólar no mercado doméstico manteve-se sintonizado à alta registrada no exterior durante a tarde desta sexta-feira (4), ainda no embalo da forte criação de empregos (payroll) em julho nos Estados Unidos e do aumento das apostas em alta de juros em dezembro no país. No CME Group, em Chicago, as expectativas subiram para 50,4 ante 40,2% antes do dado.

O operador da corretora Spinelli José Carlos Amado diz que a valorização ficou em linha com o exterior e só não foi maior devido à conjuntura local mais favorável, incluindo as contas externas, indicadores de atividade melhores e inflação fraca, além de expectativas de andamento da reforma da Previdência. Havia espaço para correção de alta e, ainda assim, a queda acumulada em 30 dias segue em cerca de 5,5% no mercado á vista e de 6% no futuro, calcula.

O diretor da corretora Mirae, Pablo Spyer, concorda que o rumo hoje foi dado pelo exterior. Acrescenta que, além do efeito do payroll sobre o dólar, o euro segue pressionado pela sinalização do Banco Central Europeu de que o cenário atual na zona do euro ainda requer um “grau muito substancial de acomodação monetária”, com o objetivo de que as pressões inflacionárias ganhem força e apoiem os preços no médio prazo.

Internamente, Spyer destaca como limitador do ajuste os sinais de confiança emitidos pela agência Moodys e pelo banco JP Morgan hoje em relação à equipe econômica e o andamento das reformas.

Em visita à sede do jornal “O Estado de S. Paulo” nesta sexta-feira, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse com exclusividade ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, que não vê como risco para o trabalho de equilíbrio das contas públicas o fato de a base aliada do governo sinalizar interesse em votar as reformas política e tributária antes da Previdência. Para o ministro, o importante é que não se perca o foco da reforma da Previdência.

Meirelles afirma que, a despeito de qualquer outra coisa, é importante que a reforma tributária seja votada o mais rápido possível. “O presidente da Câmara está falando em já pautá-la para setembro, o mês que vem, e, se isso acontecer, eu acredito que teremos todas as condições, de fato, de aprovar a Previdência até o final de outubro”, disse ele.

No mercado à vista, o dólar fechou em alta de 0,46%, a R$ 3,1275. O giro total registrado somou cerca de US$ 1,202 bilhão. No mercado futuro, o dólar para setembro encerrou com ganho de 0,54%, aos R$ 3,1470, com giro financeiro de US$ 13,023 bilhões.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/577897-dolar-sobe-ante-real-no-embalo-do-payroll-e-apostas-em-alta-de-juro-nos-eua.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!