Jornal do Comércio >> Petróleo opera em alta, após relatos sobre Arábia Saudita e dados da China

Os futuros de petróleo operam com tendência de alta nesta manhã (8), em meio a notícias de que a Arábia Saudita planeja reduzir exportações para a Ásia no próximo mês e após dados sinalizarem que a demanda da China pela commodity permanece forte.

Às 7h59min (de Brasília), o barril do petróleo tipo Brent para outubro subia 0,10% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 52,42, enquanto o do WTI para setembro avançava 0,28% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 49,53.

A Arábia Saudita, maior produtor mundial de petróleo, deverá cortar seu fornecimento para a Ásia em até 10% em setembro, como parte de esforços para lidar com o excesso de oferta global, segundo múltiplas fontes.

Na avaliação do chefe de estratégia para commodities do Saxo Bank, Ole Hansen, os sauditas “continuam a fazer o possível para sustentar o mercado ao reduzir exportações”.

No fim do mês passado, a Arábia Saudita revelou planos de limitar suas exportações de petróleo a 6,6 milhões de barris por dia em agosto. A iniciativa veio num momento em que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) – informalmente liderada pelos sauditas – e outros produtores que não integram o cartel lutam para cumprir o objetivo de reduzir a oferta em 1,8 milhão de barris por dia até pelo menos o primeiro trimestre de 2018.

Em Abu Dabi, grandes produtores estão hoje no segundo e último dia de uma reunião técnica para discutir o grau de adesão dos participantes ao acordo de corte da produção, que foi fechado no fim do ano passado e renovado em maio.

Na China, números oficiais divulgados no fim da noite de ontem mostraram que suas importações de petróleo bruto tiveram expansão anual de 12% em julho, a 34,74 milhões de toneladas. Entre janeiro e julho, as importações registraram acréscimo de 14%, a 247,08 milhões de toneladas

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/578288-petroleo-opera-em-alta-apos-relatos-sobre-arabia-saudita-e-dados-da-china.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!