Jornal do Comércio >> Governo federal analisa abertura de capital da Infraero

Logística


Notícia da edição impressa de 09/08/2017.
Alterada em 08/08 às 20h47min

Governo federal analisa abertura de capital da Infraero

Em 2017, companhia deve ter lucro de R$ 400 milhões, disse Quintella

ANTÔNIO CRUZ/ANTÔNIO CRUZ/AGÊNCIA BRASIL/DIVULGAÇÃO/JC

O governo estuda a abertura de capital da Infraero, disse ontem o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa, durante reunião na Comissão de Infraestrutura do Senado. “A ideia é dar à Infraero condições para ser sustentável”, comentou. Ele não descartou a hipótese de vender mais de 50% da empresa. Neste caso, comentou, ela ganhará mais flexibilidade administrativa, pois suas compras não terão mais de seguir a Lei nº 8.666, que trata das licitações no setor público. A ideia, com a abertura de capital, é melhorar a gestão da empresa e aumentar o uso da tecnologia.

O ministro afirmou que o governo jamais anunciou a privatização total da Infraero e que, pelo contrário, o plano é recuperá-la. Neste ano, disse Quintella, a estatal deverá ter lucro de R$ 400 milhões, depois de amargar prejuízos da ordem de R$ 3 bilhões anuais entre 2013 e 2015 e um prejuízo já um pouco menor, de R$ 750 milhões, no ano passado. A virada foi resultado de diversas medidas, entre elas um perdão de dívida de R$ 1,8 bilhão que a estatal tinha com o Tesouro referente ao Ataero e a transferência, diretamente ao caixa da empresa, de 30% da arrecadação dessa taxa.

Mais três lotes de aeroportos poderão ser concedidos

O governo vai analisar a inclusão de três lotes de aeroportos para concessão na próxima reunião do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), marcada para o próximo dia 23, informou ontem o ministro Maurício Quintella. Os terminais serão oferecidos à iniciativa privada em lotes que reunirão aeroportos superavitários e deficitários.

O lote do Sudeste reunirá os aeroportos Santos Dumont (RJ), Vitória (ES) e Pampulha (MG) e outros menores: Macaé e Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, e Carlos Prates, em Minas Gerais. Haverá um bloco no Nordeste, composto por Recife, Maceió, João Pessoa, São Luís, Teresina, Aracaju, Petrolina e Juazeiro, e um no Centro-Oeste, com Cuiabá, Sinop, Barra do Garça e Alta Floresta, todos em Mato Grosso. A inclusão do aeroporto de Viracopos para uma nova licitação ainda depende de análise jurídica sobre os procedimentos da devolução. O governo corre para editar um decreto tratando dos procedimentos para poder inscrever o aeroporto para um novo leilão.

O ministério também vai propor a inclusão no programa de concessões de um trecho rodoviário da BR-364 entre Porto Velho (RO) e Comodoro (MT) e 18 terminais portuários.


Seja o primeiro a comentar esta notícia

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/578459-governo-federal-analisa-abertura-de-capital-da-infraero.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!