Jornal do Comércio >> Fluxo põe questão fiscal em 2º plano e Ibovespa sobe 1,37%

O abrandamento da tensão geopolítica restaurou o apetite por risco no mercado internacional nesta segunda-feira (14), o que claramente beneficiou a bolsa brasileira. A valorização robusta das bolsas norte-americanas foi fundamental para impulsionar o Índice Bovespa, que fechou em alta de 1,37% e atingiu os 68.284,66 pontos, depois de ter flertado com uma leve baixa pela manhã. A alta expressiva, no entanto, não teve correspondência no volume de negócios, que permaneceu próximo da média diária de agosto, com totalizando R$ 7,7 bilhões.

A alta do Ibovespa foi determinada pelas “blue chips” do mercado nacional, com destaque para bancos, Petrobras e Vale. Segundo analistas, a demanda por essas ações é uma das evidências do apetite do investidor estrangeiro pelos papéis brasileiros. No caso da Vale, contribuiu ainda o processo de conversão das ações preferenciais em ordinárias, que agrada ao mercado pelo ganho de qualidade para a empresa e acionistas. Mesmo com o minério de ferro em baixa, Vale ON fechou com ganho de 1,62%. Já Petrobras ON e PN subiram 0,67% e 1,00%, mesmo com o petróleo registrando baixas superiores a 2,5% nos futuros de Nova Iorque e Londres.

“O que mandou hoje na bolsa foi o fluxo, a partir da consolidação da melhora do mercado externo. A alta das blue chips é basicamente reflexo dessa maior liquidez para ativos de risco”, disse Luís Gustavo Pereira, estrategista da Guide Investimentos. Segundo o profissional, esse apetite por risco acabou por colocar em segundo plano as preocupações com a questão fiscal, embora elas permaneçam no pano de fundo, com potencial para influenciar os negócios.

As especulações em torno da revisão das metas fiscais de 2017 e 2018 voltaram a rondar as mesas de negociação. Durante todo o dia, os mercados aguardaram o anúncio dos novos números de déficit fiscal, que até o final da tarde não havia sido feito. Enquanto isso, diferentes cifras para os déficits deste e do próximo ano foram ventilados.

Alguns fatores técnicos também foram apontados por profissionais do mercado como colaboradores da alta desta segunda. Um deles é a proximidade do vencimento de opções sobre o Ibovespa e sobre o futuro do índice, na quarta-feira (16). Segundo Pereira, da Guide, é possível que parte da alta esteja relacionada ao vencimento, dada a significativa posição estrangeira comprada no mercado futuro, em torno dos 70 mil contratos.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/579555-fluxo-poe-questao-fiscal-em-2-plano-e-ibovespa-sobe-1-37.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!