Jornal do Comércio >> Menor temor com EUA e Coreia do Norte favorece recuperação entre bolsas da Ásia

As bolsas da Ásia e do Pacífico reverteram nesta segunda-feira (14) parte das perdas que acumularam na semana passada, à medida que diminuíram os temores de um iminente conflito militar entre EUA e Coreia do Norte, apesar da recente troca de ameaças entre os dois países. As exceções foram os mercados do Japão, que não havia operado na sexta-feira devido a um feriado nacional, e de Taiwan.

Em artigo publicado ontem pelo The Wall Street Journal, o secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis, e o Secretário de Estado do país, Rex Tillerson, afirmaram que o governo Trump vai continuar buscando soluções diplomáticas com o objetivo de garantir a “desnuclearização irreversível” da Coreia do Norte. “Os EUA não têm interesse numa mudança de regime ou reunificação acelerada da Coreia”, disseram no WSJ.

Analistas também atribuíram a volta do apetite por risco a fortes balanços corporativos na região asiática e aos últimos dados de inflação ao consumidor dos EUA, que vieram abaixo das expectativas, diminuindo as chances de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) volte a elevar juros ainda este ano.

Na China, a recuperação prevaleceu mesmo depois da publicação de indicadores econômicos locais mais fracos do que o esperado. O índice Xangai Composto subiu 0,90% hoje, a 3.237,36 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 2,02%, a 1.879,77 pontos.

Os últimos números chineses de produção industrial, vendas no varejo e de investimentos em ativos fixos decepcionaram. A indústria da China, por exemplo, produziu 6,4% mais em julho do que em igual mês do ano passado, mas analistas consultados pelo Dow Jones Newswires previam acréscimo de 7%. Já no varejo, as vendas cresceram 10,4% na comparação anual de julho, ante projeção de ganho de 10,9%.

Na Coreia do Sul, que sentiu com força a escalada das tensões entre Washington e Pyongyang, o Kospi subiu 0,63% em Seul, a 2.334,22 pontos, interrompendo uma trajetória de quatro pregões negativos. Destacaram-se na capital sul-coreana a Samsung Electronics (+0,9%), a siderúrgica Posco (+2,5%) e a montadora Hyundai (+1,8%).

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng avançou 1,36% em Hong Kong, a 27.250,23 pontos, após sofrer um tombo de mais de 2% na sessão anterior, e o filipino PSEi teve alta de 0,42% em Manila, a 7.962,12 pontos.

Em Tóquio, a bolsa japonesa contrariou a tendência positiva na região e o Nikkei caiu 0,98%, a 19.537,10 pontos, atingindo o menor nível desde o início de maio. Como foi feriado no Japão na última sexta, o Nikkei retomou os negócios hoje refletindo as fortes perdas que outros índices asiáticos mostraram no fim da semana passada.

O Nikkei também ignorou dados do Produto Interno Bruto (PIB) do Japão, que cresceu a uma taxa anualizada de 4% no trimestre até junho, bem maior do que o avanço de 2,5% previsto por analistas consultados pelo The Wall Street Journal, segundo dados oficiais publicados na noite de ontem.

Outra exceção foi o mercado taiwanês, que teve queda de 1,01% no Taiex, a 10.225,28 pontos, depois de ficar estável na sexta.

Já na Oceania, o dia também foi de recuperação na bolsa australiana e o índice S&P/ASX 200 avançou 0,66% em Sydney, a 5.730,40 pontos, impulsionado por ações de grandes bancos domésticos e do setor de energia.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/579400-menor-temor-com-eua-e-coreia-do-norte-favorece-recuperacao-entre-bolsas-da-asia.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!