Jornal do Comércio >> Ganho líquido da JBS cai 79,8%

A JBS reportou lucro líquido de R$ 309,8 milhões no segundo trimestre de 2017, resultado 79,8% inferior à igual período do ano passado, em que o resultado totalizou R$ 1,536 bilhão, impulsionado principalmente pela variação cambial da época.

Apesar dos eventos como a Operação Carne Fraca e as delações dos irmãos Batistas, diretores da JBS e J&F, a empresa teve um resultado operacional satisfatório. “Tivemos no segundo trimestre de 2017 um bom desempenho operacional”, afirmou o CEO global da JBS, Wesley Batista, em relatório. Para o executivo, o resultado do trimestre é “uma clara demonstração da qualidade de nossas unidades de negócios ao redor do mundo”.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da JBS entre abril e junho foi de R$ 3,757 bilhões, com aumento de 29,9% ante o segundo trimestre de 2016 (R$ 2,892 bilhões). A margem Ebitda ficou em 9%, frente a 6,6% em igual intervalo do ano passado. As operações internacionais impulsionaram esse crescimento, principalmente as nos Estados Unidos.

A receita líquida alcançou R$ 41,674 bilhões, uma queda de 4,6% no comparativo anual, ante R$ 43,671 bilhões, em função da redução da receita da Seara e da JBS Mercosul em 6,1% e 14,2%, respectivamente. A empresa citou também como um dos motivos para a queda da receita a valorização do real, que passou de R$ 3,51 no segundo trimestre de 2016 para R$ 3,21 no segundo trimestre deste ano.

No segundo trimestre de 2017, cerca de 73% das vendas globais da JBS foram realizadas nos mercados domésticos em que a companhia atua e 27% vieram de exportações, segundo a empresa.

Como uma consequência da Operação Carne Fraca da Polícia Federal, a JBS paralisou as atividades de 10 unidades de abates de bovinos no fim de março. Durante o trimestre, a JBS suspendeu também a compra de gado com pagamento à vista. Na sequência, a delação dos irmãos Batistas, que começou a ser divulgada no dia 17 de maio, abalou a imagem da empresa. Do lado positivo, a queda do preço doméstico do milho e do gado foram favoráveis às margens da empresa. As operações internacionais da JBS também trouxeram bons resultados. A Pilgrim’s Pride, controlada pela JBS com atuação nos Estados Unidos, aumentou seu lucro líquido em 53% no período. As vendas da JBS nos EUA representam cerca de 50% do total da empresa, enquanto o Brasil (incluindo as exportações) responde por 25%.

A JBS encerrou o segundo trimestre com uma dívida líquida de R$ 50,375 bilhões, ante R$ 47,806 bilhões no primeiro trimestre do ano. A alavancagem ficou em 4,16 vezes, ao final de junho, ante o registrado no primeiro trimestre deste ano de 4,23 vezes. A porcentagem da dívida de curto prazo em relação à dívida total ficou em 30% no período, dos quais 72% são linhas lastreadas às exportações das unidades brasileiras.

A demonstração de resultados da empresa não foi auditada, como a empresa já havia anunciado na semana passada. Segundo a JBS, a conclusão do trabalho de auditoria independente dependerá dos resultados das investigações dos fatos relacionados ao acordo de leniência fechado pela companhia e por seus controladores com o Ministério Público Federal (MPF).

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/08/jornal-do-comercio-ganho-liquido-da-jbs-cai-798.br_conteudo/2017/08/economia/579652-ganho-liquido-da-jbs-cai-79-8.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!