Valor >> Bolsas de NY fecham em alta com alívio das tensões entre EUA e Coreia

SÃO PAULO  –  Um sentimento de alívio moveu os mercados nesta segunda-feira (14). A escalada de tensões entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte não apenas deu uma trégua no fim de semana, como, nesta segunda, a China atendeu a parte dos apelos americanos e anunciou novas sanções comerciais como forma de pressionar o aliado asiático a interromper seu programa nuclear.

Após ajustes, o Dow Jones terminou com ganho de 0,62%, a 21.993,71 pontos. O S&P 500 subiu 1%, a 2.465,84 pontos. O Nasdaq avançou 1,34%, a 6.340,23 pontos.

No S&P 500, apenas o setor de energia terminou no negativo, com queda de 0,30%, afetado pela forte queda do petróleo. Os demais dez subíndices fecharam em altas expressivas, com destaque para os papéis imobiliários, com avanço de 1,66%, de tecnologia, que subiram 1,59%, e financeiros, com valorização de 1,37%.

No Dow Jones, apenas quatro papéis entre os 30 componentes do indicador encerraram no território negativo. As maiores altas ficaram com Visa, que subiu 1,78%, seguida de Apple, Microsoft e Verizon, com um triplo 1,50% de avanço.

Em conversa telefônica no fim de semana, o presidente da China, Xi Jinping, pediu moderação ao presidente americano, Donald Trump, em relação às ameaças contra Pyongyang. Hoje, o governo chinês anunciou que banirá, a partir desta terça (15), novas importações de minério de ferro, carvão e frutos do mar da Coreia do Norte, em cumprimento ao embargo internacional à isolada nação asiática.

As medidas chinesas podem representar um forte argumento para que Pyongyang cesse as bravatas contra os EUA, pois o fluxo de comércio internacional norte-coreano se concentra em 80% com o vizinho do norte.

No domingo, autoridades americanas de alto escalão, como os secretários de Defesa e de Estado, além do chefe da Agência Central de Inteligência (CIA), buscaram mitigar o estrago retórico feito na semana anterior pelo presidente Trump. Conforme Mike Pompeo, diretor da CIA, não há ameaça iminente de ataque da Coreia do Norte aos EUA.

O esforço conjunto dos assessores de Trump marcaram, na visão dos investidores, um gol da diplomacia contra o “bullying” militar. Na semana passada, tanto o Dow Jones como o S&P 500 acumularam perdas acima de 1%, as maiores quedas desde março.

O CBOE VIX, considerado a métrica do medo em Wall Street, ilustrou a guinada de sentimento. O índice recuou hoje 20,50% para 12,33 e recuperou parte do avanço de mais de 40% registrado na quinta (10), no auge das provocações, quando Trump prometeu “fogo e fúria como o mundo nunca viu” contra os norte-coreanos.

Fonte Oficial: http://www.valor.com.br/financas/5079662/bolsas-de-ny-fecham-em-alta-com-alivio-das-tensoes-entre-eua-e-coreia.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!