Jornal do Comércio >> Mudança da meta fiscal para 2017 não altera cenário-base para Brasil, diz Moody’s

Agência O Globo

A agência de classificação de risco Moody’s informou em nota divulgada nesta quarta-feira que a revisão da meta fiscal para R$ 159 bilhões este ano e no próximo não trará impacto para a avaliação do rating do país. Mesmo assim, a Moody’s esperava um déficit menor em 2018.

A nova meta equivale a 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano e 2,2% no ano que vem.

“A magnitude da revisão em 2017 não afeta materialmente nosso cenário-base. Nossas projeções incorporavam um déficit fiscal primário de 2,4% do PIB em 2017, mas nossa estimativa para 2018 era de um déficit fiscal de 1,7% do PIB”, diz o comunicado da agência.

A agência lembra que uma trajetória mais lenta de consolidação fiscal em 2018/2020 é um desdobramento negativo de crédito. Mas pondera que as perspectivas para o crédito do Brasil no médio prazo serão impactadas mais pelo resultado das reformas propostas.

“Se aprovada, a reforma da Previdência reduzirá o crescimento das despesas do governo, contribuindo para a restauração da sustentabilidade fiscal e para contenção do aumento da dívida pública”, diz a nota da Moody’s.

Nesta terça-feira, a agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P) já tinha retirado a observação negativa (creditwatch) sobre a nota de risco do Brasil.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/08/jornal-do-comercio-mudanca-da-meta-fiscal-para-2017-nao-altera-cenario-base-para-brasil-diz-moodys.br_conteudo/2017/08/economia/580120-mudanca-da-meta-fiscal-para-2017-nao-altera-cenario-base-para-brasil-diz-moody-s.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!