Valor >> Cemig espera fazer acordo sobre usinas com governo até próxima semana

BELO HORIZONTE  –  (Atualizada às 14h52) A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) informou que espera fechar um acordo com o governo federal até o início da próxima semana em relação à concessão de três hidrelétricas, objeto de uma disputa que já dura cinco anos. O superintendente de relações com investidores da empresa, Antonio Carlos Vélez, disse que há espaço e expectativa de um acordo antes de o Supremo Tribunal Federal (STF) julgar a questão.

O julgamento está marcado para o dia 22 de agosto. A Cemig perdeu no Superior Tribunal de Justiça (STJ) o pleito de ficar por um período de mais 20 anos com as usinas de Jaguara, Miranda e São Simão.

A Cemig não aceitou renovar antecipadamente as concessões das usinas nos termos da Medida Provisória 579 em 2012, e vem brigando na Justiça desde então pelo direito de se manter concessionária das hidrelétricas. O governo, porém, entende que a companhia não tem esse direito, e preparou um leilão para relicitar os ativos em 27 de setembro.

“Nós entendemos que seria interessante chegarmos a um acordo antes da decisão do Supremo”, disse Vélez, da Cemig. “Entendemos que sim”, completou ele ao ser questionado se haveria tempo hábil para isso.

Nesta sexta-feira, a empresa realizará um ato em defesa de manutenção das usinas, na hidrelétrica de Miranda, próximo à cidade mineira de Uberlândia. O presidente da empresa, Bernardo Salomão, o governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), deputados estaduais e federais, prefeitos, empresários são esperados no evento.

Os senadores mineiros do PSDB Aécio Neves e Antonio Anastasia já se manifestaram favoravelmente à empresa.

Santo Antônio

Em teleconferência sobre os resultados do segundo trimestre, a Cemig afirmou estar na fase final da negociação da venda da sua participação de 18% na hidrelétrica de Santo Antonio, no rio Madeira, em Rondônia. Segundo Vélez, “a redação do contrato” está sendo discutida neste momento, e que um acordo firme pode sair no fim do mês.

A Cemig e a Odebrecht, controladoras da hidrelétrica, estão negociando a venda da usina com a chinesa SPIC Overseas.

Light

A Cemig também admitiu que pode pedir um prazo adicional para pagar a opção de venda que os bancos sócios no controle da Light – Banco do Brasil, Santander e Votorantim – têm contra a companhia, que deve envolver cerca de R$ 1,5 bilhão.

A opção vence em novembro deste ano, e a ideia da companhia é utilizar os recursos da venda da sua participação na Light para pagar as instituições financeiras. A Cemig tem, entre participações direta e indireta, 43% da Light. Contando com os bancos, o bloco de controle possui 52% da empresa.

De acordo com o superintendente, o compromisso da estatal mineira é quitar a opção até novembro. “Nossa intenção é pagar essa ‘put’ com recursos oriundos da venda da Light. Entendemos que existe uma possibilidade no cronograma de atendermos o prazo. Não sendo possível, não descartamos negociar com os detentores da ‘put’ um prazo adicional”, disse.

Segundo ele, a Cemig neste momento está negociando com os potenciais compradores, para que estes possam avaliar o ativo da Light.

Questionado por analistas sobre a possibilidade de vender antes de novembro as ações que excedem o controle da Light, o executivo dsse que isso não faria diferença para a companhia. Essa fatia da Taesa foi dada em garantia à opção da Light, e o dinheiro teria que ser depositado em uma conta garantia até o pagamento da opção, e não entraria no caixa da companhia.

Fonte Oficial: http://www.valor.com.br/empresas/5082570/cemig-espera-fazer-acordo-sobre-usinas-com-governo-ate-proxima-semana.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!