Jornal do Comércio >> Braskem aumenta lucro e planeja mudanças no nível de governança

O presidente da Braskem, Fernando Musa, ressaltou avanços na governança e a negociação das controladoras Petrobras e Odebrecht para a revisão da sociedade, durante conferência de apresentação de resultados do segundo trimestre da companhia ontem. A Braskem registrou lucro líquido de R$ 1,142 bilhão no segundo trimestre de 2017, resultado quatro vezes maior que os R$ 275 milhões apurados no mesmo período de 2016. Em relação ao primeiro trimestre, o lucro apresentou queda de 40% (R$ 1,914 bilhão).

No primeiro semestre, a petroquímica teve lucro de R$ 3,057 bilhões, avanço de 186% em relação ao ano passado. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização da Braskem no segundo trimestre ficou em R$ 3,029 bilhões, 1% maior que no mesmo período de 2016, e 16% menor que o registrado no primeiro trimestre. A margem Ebitda entre abril e junho ficou em 25,5%, praticamente estável em relação aos 25,7% de um ano antes.

No fim de julho, a Petrobras informou ter iniciado conversas com a Odebrecht para rever o acordo de acionistas da Braskem, iniciativa importante para que a estatal possa oferecer sua participação ao mercado. “A Braskem é signatária do acordo de acionistas como parte interveniente e objeto do acordo, mas o diálogo está acontecendo entre Petrobras e Odebrecht. E, no momento adequado, seremos chamados à discussão muito mais para conhecer o que vai ser ajustado entre eles para podermos assinar como interveniente no acordo”, disse Musa. O acordo antigo é de 2010 e garantia à Petrobras o direito de indicar executivos e vetar investimentos, mas não permite a transferência destes direitos a um eventual comprador da fatia da estatal.

Musa também destacou o lançamento, anunciado ontem, de uma nova logomarca, eliminando semelhanças visuais com a holding Odebrecht, que ficou estigmatizada após os escândalos de corrupção na Lava Jato. Também no fim do mês passado, a petroquímica recebeu três novos conselheiros independentes. “São pessoas que vão agregar ao nosso processo de discussão e análise de tudo o que a Braskem faz. E temos hoje, dos 11 conselheiros da Braskem, sete independentes, o que nos coloca numa posição bastante destacada em relação ao mercado”, disse.

O presidente da petroquímica também falou sobre comentários que a auditoria KPMG deixou nos balanços da companhia de 2016 e dos dois primeiros trimestres deste ano em relação a eventuais futuros desdobramentos ligados à Operação Lava Jato, além de ação coletiva movida por investidores estrangeiros. “Na minha ótica, os auditores estão relembrando a todos os investidores um fato ocorrido que tem muita relevância e já foi discutido pela companhia várias vezes de forma bastante clara e transparente. Não há nenhuma expectativa de novas finalidades com relação à Lava Jato.”

“Gostaria de reforçar que o nosso acordo trata da relação da Braskem com as autoridades, mas nós não podemos excluir a possibilidade de que algum terceiro venha a tomar qualquer tipo de ação em relação a esses eventos com a Braskem. Nós não temos expectativa de nada material nesse tema mas o acordo está cotado na relação da Braskem com as autoridades”, disse.

Musa destacou a aprovação formal pelo conselho de um grande investimento nos EUA, a construção da sexta unidade industrial de polipropileno naquele país, prevista para os próximos três anos. A planta terá capacidade para agregar 450 mil toneladas de polipropileno.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/580066-braskem-aumenta-lucro-e-planeja-mudancas-no-nivel-de-governanca.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!