Jornal do Comércio >> Expectativa da Cemig é ter adesão de 1 mil funcionários em PDV

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) espera a adesão de até 1 mil funcionários ao seu programa de demissão voluntária (PDV) até o final deste mês, o que deve gerar uma redução de custo da ordem de R$ 200 milhões, indicou nesta quarta-feira (16) o superintendente de controladoria da estatal mineira, Leonardo Magalhães, durante teleconferência com analistas e investidores. Até o fim de junho, a companhia anotou a adesão de 891 pessoas, com uma despesa de R$ 165 milhões.

De acordo com o executivo, a maior parte dos empregados que devem aderir ao programa está na distribuidora do grupo (Cemig D), o que deve beneficiar a empresa, que vem registrando resultados fracos nos últimos trimestres. Somente no segundo trimestre, a distribuidora registrou um Ebitda negativo de R$ 103 milhões, revertendo os R$ 40 milhões positivos adotados na mesma etapa do ano passado, enquanto o prejuízo mais que quadruplicou, passando de R$ 51 milhões para R$ 240 milhões.

“É uma oportunidade grande para a distribuidora capturar”, disse, indicando que a unidade deve se beneficiar de uma menor pressão de custo ao final do processo. Entre abril e junho, a companhia anotou uma despesa com PDV de R$ 123 milhões, referente à adesão de 705 pessoas, mas Magalhães destacou que o retorno desse “investimento” é rápido. “É um investimento que se paga entre 8 e 10 meses”, afirmou. Ele destacou que a companhia deve realizar reposições mais baratas e em número menor que as demissões.

Além do PDV, o superintendente também destacou outras iniciativas para reduzir os custos da distribuidora, como uma revisão das provisões judiciais e um esforço para reduzir as Perdas para Crédito de Liquidação Duvidosa (PCLD). “As provisões trabalhistas do segundo trimestre vieram em valor muito alto, mas vêm passando por uma reavaliação. A expectativa é que provisões nos próximos trimestres venham abaixo do primeiro semestre”, disse.

Já a PCLD já recuou no segundo trimestre deste ano, recuando a 1,8% da receita, após alcançar um pico de 2,13% no quarto trimestre do ano passado. “Esperamos conseguir reduzir ainda mais; PDD demanda um acompanhamento constante da companhia”, disse.

Magalhães indicou que além da redução dos custos, a Cemig D deve apresentar uma melhora do desempenho operacional no próximo ano a partir da revisão tarifária pela qual passará. A intenção da companhia é conseguir convencer a agência reguladora da eficiência de seu patamar de custos mais elevado, buscando uma maior cobertura tarifária dos custos regulatórios. A justificativa seria o tamanho da área de concessão e a capilaridade da rede, com quase 600 mil quilômetros de linha.

“Estamos arrumando a casa e com a revisão a distribuidora terá outra oportunidade de buscar eficiência e recuperar os custos dentro das tarifas”, disse.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/579960-expectativa-da-cemig-e-ter-adesao-de-1-mil-funcionarios-em-pdv.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!