Jornal do Comércio >> Culturas de inverno estão em lenta recuperação

O desenvolvimento da cultura do trigo segue em lenta recuperação, em função da baixa umidade no solo, embora o aspecto visual seja bem melhor do que nas semanas anteriores. Segundo a Emater, no momento, 91% das lavouras de trigo estão em desenvolvimento vegetativo; 8%, em floração; e 1%, iniciando a formação de grãos. Estes percentuais situam-se em três pontos abaixo da média para o período.

Na canola, produtores recorrem ao Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), informando a geada como principal evento prejudicial. As lavouras apresentam baixo potencial produtivo devido à chuva em excesso na implantação e início do desenvolvimento, seguida de longo período com baixa umidade e geada de grande intensidade.

Na bovinocultura de corte, as forrageiras sofrem as consequências das baixas precipitações das semanas anteriores, o que gerou déficit da oferta de forragem. Alguns produtores têm complementado a alimentação dos animais com silagem e ração. A oferta está alta, afetando o preço recebido pelos bovinocultores.

Os bovinos mantidos em campo nativo e pastagens cultivadas de inverno têm apresentado baixo escore corporal. A tendência é melhorar a condição de escore em função da recuperação das pastagens cultivadas de inverno, principalmente o azevém. A procura pelo boi gordo está crescendo, mas o preço está abaixo do esperado pelo produtor. No entanto, a comercialização está ocorrendo com déficit de preço pago, pela necessidade de o produtor gerar receita na propriedade e liberar a área para diferimento da pastagem.

Para a bovinocultura de leite, estão sendo implantadas as primeiras pastagens de verão, como forma de antecipar a disponibilidade de pasto verde. Ainda é grande a escassez de alimentos, apesar da boa brotação das pastagens anuais, perenes e gramas nativas. Os produtores estão usando a silagem e farelados em maior escala devido à falta de outros alimentos.

A produção de leite continua abaixo do normal, e a redução de em torno de 10% no preço pago também preocupa os produtores. Mesmo com melhoria do rebrote das pastagens de inverno, o consumo de silagem, feno e ração se mantém elevado, aumentando o custo de produção durante um período em que o preço do litro de leite está menor em relação ao mês passado (alguns estão recebendo menos de R$ 1,00 por litro), reduzindo de forma drástica o lucro da atividade.

 

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/580305-culturas-de-inverno-estao-em-lenta-recuperacao.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!