Jornal do Comércio >> Petrobras interrompe parte da produção de gasolina na Refap em Canoas

A Petrobras decidiu parar a produção de gasolina em uma das duas unidades da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), a partir desta segunda-feira (21). Nota no site da estatal informa que a decisão foi comunicada à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na sexta-feira (18) e atinge a Unidade de Craqueamento Catalítico Fluido (UFCC).

Segundo a empresa, a paralisação é temporária e busca cumprir uma liminar judicial. Além disso, o comunicado descarta “impactos relevantes nos resultados financeiros da companhia”. “A produção suspensa será compensada por modal marítimo”, explica a Petrobras.

A paralisação na unidade revela uma disputa entre a estatal e a categoria dos petroleiros e que acabou indo ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 4a Região, com sede em Porto Alegre. Na própria nota no site, a Petrobras informa que, em 2014, começou o estudo de Organização e Métodos de Trabalho (O&M) que serviria para avaliar a demanda e frequência das atividades dos técnicos de operação. Desta vez, pesou o laudo de uma inspeção realizada pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) demonstrando que “a redução expunha os trabalhadores e trabalhadoras a risco de acidentes”, diz o sindicato. 

A Petrobras reforça seu compromisso com a operação de suas instalações em conformidade com os mais rigorosos procedimentos da indústria de petróleo mundial. “A empresa reafirma que o estudo de O&M para a área de operação das unidades de Refino e Fertilizantes resultou em número de trabalhadores necessário e suficiente para garantir a segurança, confiabilidade e eficiência de suas plantas industriais”, diz a nota. A estatal ainda diz que o estudo abrangendo todas as refinarias de sua propriedade no País não teria gerado redução de pessoal, depois de começar a ser executado em maio. 

O Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Sul (Sindipetro-RS) questionou o impacto da revisão da alocação de pessoal na Refap, denunciou que o número não estava atendendo a necessidades de segurança e acabou solicitando a suspensão do O&M à Justiça do Trabalho. A primeira decisão ocorreu em fim de julho, a estatal cumpriu suspendendo a redução de técnicos, mas depois teria retomada as alterações, segundo o Sindipetro-RS. Em 10 de agosto, o desembargador do TRT4 Marcelo José Ferlin D’Ambroso confirmou a liminar para que a empresa não mudasse o efetivo.  

O desembargador determinou ainda que a SRTE e ANP fiscalizem o cumprimento da liminar. No despacho, D’Ambroso alertou “aos riscos de acidentes graves ou fatais, cuja dimensão, no âmbito de uma refinaria de

petróleo, pode atingir proporções de desastre ambiental e humano”. 

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/580636-petrobras-interrompe-parte-da-producao-de-gasolina-na-refap-em-canoas.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!