Jornal do Comércio >> Bolsas da Europa fecham em alta, impulsionada por valorização de metais

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira (22), depois de passarem três sessões consecutivas em queda. A recuperação foi proporcionada, principalmente, pela alta dos metais básicos, como cobre e zinco, e resultou num avanço de 0,83% do índice pan-europeu Stoxx 600, que fechou aos 375,80 pontos.

As tensões geopolíticas, bem como a crise política no governo do presidente dos EUA, Donald Trump, permaneceram no radar, mas tiveram menos influência sobre os mercados acionários, que, após tantas quedas, tinham espaço para recuperação.

Para o resto da semana, os investidores ficam atentos ao simpósio em Jackson Hole, no Wyoming, EUA, que contará com os discursos de figuras importantes, como o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, e da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Janet Yellen. Ambos se pronunciarão na sexta-feira, mas Draghi participará, ainda, de um evento na quarta-feira na Alemanha que ficará no radar do mercado.

Os metais básicos impulsionaram as mineradoras britânicas, como a Rio Tinto e a Glencore, que subiram 2,43% e 2,14%, respectivamente, o que levou o FTSE 100 a fechar em alta de 0,86%, aos 7.381,74 pontos. O cobre e o zinco estão atingindo máximas históricas, e, ainda que a alta não seja proporcionada por fundamentos, mas por especulações, a influência nos setores ligados aos metais é evidente.

Na Alemanha, nem a queda brusca do índice ZEW de expectativas econômicas foi capaz de fazer a bolsa cair. O indicador caiu para 10 em agosto – de 17,5 em julho. Analistas previam uma queda bem menor, para 14. Mesmo assim, o DAX fechou em alta de 1,35%, aos 12.229,34 pontos, com a Fresenius liderando o índice ao subir 3,10%.

Em Paris, o CAC 40 foi ajudado pelos setores de tecnologia e energia. A Capgemini avançou 2,44%, a Total subiu 1,50% e a Schneider Electric 1,51%, enquanto a bolsa em si fechou em alta de 0,87%, aos 5.131,86 pontos.

Madri e Lisboa fecharam com variação porcentual próxima, a primeira em alta de 0,48% e a segunda subindo 0,47%. Aos 10 409,80 pontos, Madri foi impulsionada por bancos, como o Santander, que avançou 0,79%. Já Lisboa viu a empresa de alimentos Ibersol avançar 4,17% e gerar impacto de 0,57 ponto no índice, que fechou aos 5.191,24 pontos.

Milão foi a única das principais bolsas a fechar em queda, pressionada pelo setor bancário. Com o Intesa Sanpaolo caindo 0,69%, o UniCredit recuando 0,73% e o Banco BPM perdendo 1,10%, o FTSE Mib fechou em queda de 0,11%.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/581002-bolsas-da-europa-fecham-em-alta-impulsionada-por-valorizacao-de-metais.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!