Jornal do Comércio >> Governo apresenta nesta quarta proposta de privatização da Eletrobras

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, disse que a intenção do governo em desestatizar a Eletrobras será apresentada nesta quarta-feira (23) ao conselho do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI). Ele voltou a citar, em coletiva nesta terça-feira (23), a Embraer e a Vale como exemplo de processos semelhantes, que também ocorreram em outros países.

“Trata-se de um movimento muito maior do que apenas a necessidade arrecadatória. Vamos entregar uma nova empresa muito mais ágil após esse processo, com capacidade de enfrentar os desafios em um cenário competitivo com empresas globalizadas”, afirmou o ministro.

Coelho Filho elencou as dificuldades que a Eletrobras vem enfrentando, mas elogiou o atual comando da estatal. “Quando assumimos, a empresa valia R$ 9 bilhões e agora vale R$ 20 bilhões. A empresa teve prejuízos acumulados nos últimos anos, mas tivemos lucro nos dois primeiros trimestres de 2017, o que mostra a melhora da governança na empresa”, completou.

O secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, avaliou que o processo terá grande importância para o setor de energia e para o País, mas também para o mercado de capitais brasileiro. “A modelagem de venda ainda não está concluída. Isso é algo que ainda vamos discutir a partir de agora, considerando o que está previsto na lei de desestatização”, disse Guardia. “Haverá total transparência em cada uma das fases do processo”, completou.

Já o secretário-executivo do MME, Paulo Pedrosa, disse que a desestatização da Eletrobras irá gerar um ambiente propício para os investimentos no setor elétrico. “O nosso foco é dar eficiência para o mercado de energia, com transparência de custos”, afirmou. “Esse movimento fortalece a Eletrobras como player de mercado”, acrescentou.

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, disse que a privatização colocará a empresa em pé de igualdade com outras empresas de energia internacionais, que inclusive já estão presentes no mercado brasileiro. “No pé em que estamos, não teríamos essa condição”, admitiu.

Ainda durante a coletiva, o ministro de Minas e Energia afirmou também que o governo descarta incluir a a Eletronuclear e a Usina de Itaipu no processo de desestatização. No caso da empresa responsável pelas usinas nucleares, o motivo é constitucional. Já a usina hidrelétrica, que é binacional, dependeria de acertos com o Paraguai para a privatização.
A notícia da desestatização teve repercussão positiva nos mercados nacionais. Os juros e o dólar registraram baixa, enquanto a bolsa superou os 70 mil pontos perto do meio-dia.

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, disse que o governo pretende anunciar “o quanto antes” o modelo que será utilizado para a privatização da Eletrobras, ainda este ano Mais cedo, ele estimou que o processo possa ser concluído ainda no primeiro semestre de 2018.

Apesar da privatização, o desenho que está sendo estudado para a operação prevê que a União mantenha uma “golden share”, com poder veto em decisões da companhia. O nome Eletrobras também deve ser mantido. Após o processo, a União passará a deter participação inferior na empresa.

Coelho Filho disse que o debate sobre a desestatização já existia no governo e repetiu que a empresa – nas condições atuais – tem dificuldades em honrar seus compromissos e ainda competir no mercado. “O aumento de tarifas e de encargos não são alternativas”, afirmou.

O ministro considerou a venda da empresa um movimento “fundamental” para desenvolvimento do mercado elétrico brasileiro e citou o apoio dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Dyogo Oliveira (Planejamento) e Henrique Meirelles (Fazenda).

“A operação não é uma simples venda de ações para pagar contas. Ficou comprovado que não era possível continuar com o atual modelo. A União e os consumidores não têm condições de continuar pagando essa conta. A empresa voltará a pagar dividendo, a gerar lucro e pagar impostos, além de ter uma capacidade de investimentos que não vemos há muito tempo”, concluiu Coelho Filho.

Com informações da Agência Brasil e Agência Estado

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/580995-governo-apresenta-nesta-quarta-proposta-de-privatizacao-da-eletrobras.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!