Jornal do Comércio >> Dólar cai com Eletrobras, estressa com TLP e fecha praticamente estável

O dólar inverteu tendência de queda e subiu com força ao patamar dos R$ 3,19 nos minutos finais de negociação nesta terça-feira (22), após o encerramento da reunião da comissão mista do Congresso sem a votação da Medida Provisória (MP) 777, que cria a Taxa de Longo Prazo (TLP). No entanto, uma sinalização de reabertura da sessão arrefeceu o nervosismo do mercado, levando o dólar a terminar praticamente estável. Antes disso, o dólar tinha zerado as perdas do dia em meio a um movimento técnico de cobertura de posições de bancos, após forte ingresso de capital estrangeiro através da bolsa devido à proposta de privatização da Eletrobras.

De acordo com um gerente de mesa de derivativos, o movimento foi acentuado no câmbio, uma vez que a aprovação já estava no preço e um adiamento sinaliza incertezas em relação às demais reformas previstas. O presidente da Comissão, Lindbergh Farias (PT-RJ), encerrou a sessão alegando que não ficou comprovado que a MP 777 não afetará as metas fiscais.

Pouco antes do estresse no mercado, o dólar tinha praticamente zerado as perdas do dia em meio a um movimento técnico de cobertura de posições de bancos, após forte ingresso de capital estrangeiro através da bolsa devido à proposta de privatização da Eletrobras.

“Pela manhã houve um forte ingresso de capital estrangeiro através da bolsa para elevar a Eletrobras e agora à tarde o que vimos foi um movimento de reversão com os bancos cobrindo posições, uma vez que ninguém quer ficar exposto porque o momento exige certa cautela”, disse o operador da corretora Multimoney Durval Corrêa.

O Ministério de Minas e Energia anunciou ontem à noite a proposta de desestatização da Eletrobras. “A notícia de privatização foi uma surpresa enorme, o que gerou queda mais acentuada do dólar pela manhã”, uma vez que sinaliza entrada de recursos para reduzir a dívida pública, “mas com o fato de ainda não serem divulgados os detalhes, o dólar passou por um ajuste”, pontuou o diretor de câmbio da Abrão Filho, Fernando Oliveira.

No mercado à vista, o dólar terminou em leve alta de 0,01%, aos R$ 3,1699. O giro financeiro somou US$ 1,19 bilhão. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,1467 (-0,72%) e, na máxima, aos R$ 3,1914 (+0,68%).

No mercado futuro, o dólar para setembro caiu 0,09%, aos R$ 3,1685. O volume financeiro movimentado somou US$ 13,53 bilhões. Durante o pregão, a divisa oscilou de R$ 3,1525 (-0,59%) a R$ 3,1970 (+0,80%).

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/581110-dolar-cai-com-eletrobras-estressa-com-tlp-e-fecha-praticamente-estavel.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!