Jornal do Comércio >> Juro médio no crédito livre sobe a 46,6% em julho; cheque especial recua a 321,3%

A taxa média de juros no crédito livre subiu de 46,2% ao ano em junho para 46,6% ao ano em julho, informou nesta quinta-feira (24) o Banco Central, por meio da Nota de Política Monetária e Operações de Crédito. Em julho de 2016, essa taxa estava em 52,6% ao ano. Para pessoa física, a taxa média de juros no crédito livre passou de 63,4% para 63,8% ao ano na passagem de junho para julho, enquanto para pessoa jurídica foi de 24,8% para 25,3% ao ano.

Entre as principais linhas de crédito livre para a pessoa física, destaque para o cheque especial, cuja taxa recuou de 322,6% para 321,3% ao ano de junho para julho. Para o crédito pessoal, subiu de 48,6% para 50,4% ao ano. Para veículos, os juros caíram ligeiramente, de 24,0% para 23,8% ao ano, de junho para julho.

A taxa média de juros no crédito total, que inclui também as operações direcionadas (com recursos da poupança e do Bndes), acelerou de 28,8% ao ano em junho para 29,0% ao ano em julho. Em julho de 2016, estava em 33,0%.

A média diária de concessões de crédito livre caiu 10,6% em julho ante junho, para R$ 11,1 bilhões, informou o Banco Central. No crédito direcionado, a média cedeu 28,9%, para R$ 1,1 bilhão. Em julho de 2016, a média era de R$ 10,6 bilhões no caso de recursos livres e de R$ 1,4 bilhão no de direcionado.

No acumulado do ano até julho, a alta é de 1,5% para os recursos livres e o recuo é de 8,4% para o financiamento direcionado. Nos 12 meses encerrados em julho, as taxas são de, respectivamente, -1,8% e -14,8%.

Quando se soma o crédito livre e o direcionado, a queda das concessões médias foi de 12,6% em julho ante junho, num total de R$ 12,2 bilhões. A média diária em julho de 2016 era de R$ 12,0 bilhões. No acumulado de 2017, a alta é de 0,5% e, em 12 meses até julho, o recuo é de 3,3%.

O spread bancário médio no crédito livre subiu de 36,6 pontos porcentuais em junho para 37,6 pontos porcentuais em julho, informou o Banco Central. O spread médio da pessoa física no crédito livre passou de 53,6 pontos para 54,5 pontos porcentuais no período.

Para pessoa jurídica, o spread médio avançou de 15,4 pontos para 16,7 pontos porcentuais.

O spread médio do crédito direcionado caiu ligeiramente, de 4,4 pontos em junho para 4,3 pontos em julho. Já o spread médio no crédito total (livre + direcionado) passou de 21,0 para 21,5 pontos porcentuais no período.

Apesar do aumento dos spreads, o BC informou que a taxa de captação dos bancos no crédito livre caiu de 9,6% em junho para 9% em julho.

Segundo o Banco Central, a taxa de inadimplência no crédito livre seguiu em 5,6% em julho, mesma taxa registrada em junho. Em julho de 2016, a taxa estava em 5,7%.

Para pessoa física, a taxa de inadimplência passou de 5,8% em junho para 5,7% em julho. No mesmo mês do ano passado, estava em 6,2%. Para as empresas, a taxa foi de 5,3% em junho para 5,5% em julho.

A inadimplência do crédito direcionado passou de 1,9% em junho para 2,0% em julho.

O dado que considera crédito livre mais direcionado mostra manutenção da inadimplência de junho para julho, em 3,7%. Um ano antes, a taxa estava em 3,6%.

No cheque especial, o volume de calotes passou de 15,2% em junho para 14,8% em julho.

No caso de aquisição de veículos, o volume de calotes foi de 4,4% em junho para 4,2% em julho. No cartão de crédito, passou de 7,5% para 7,4% no período.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/581517-juro-medio-no-credito-livre-sobe-a-46-6-em-julho-cheque-especial-recua-a-321-3.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!