Jornal do Comércio >> Samsung apresenta o novo Galaxy Note 8 em Nova Iorque

A Samsung apresentou nesta quarta-feira (23), em um evento em Nova Iorque, nos EUA, a nova versão do Galaxy Note 8. Mais do que apenas um lançamento premium da sul-coreana, o aparelho representa a tentativa da empresa de superar o fiasco da última versão do smartphone, o Galaxy Note 7, descontinuada em 2016 após registros de explosões da bateria em vários países. Para evitar surpresas e enterrar o episódio, a Samsung arriscou pouco, mostrando um celular bastante semelhante ao Galaxy S8+, modelo que anunciou em março.

O principal diferencial do Galaxy Note 8 é a sua câmera dupla, uma característica também presente no seu maior rival até agora, o iPhone 7 Plus. Com lançamento previsto nos Estados Unidos em 15 de setembro, o Note 8 ainda não tem preço nem data de estreia para o Brasil. Nos EUA, a operadora T-Mobile anunciou que vai vender o aparelho a US$ 930. Para efeitos de comparação, a versão mais básica do S8+, custa US$ 840 lá fora e R$ 4,4 mil no País.

Outro destaque do aparelho é o seu design. Com bordas arredondadas, na chamada “tela infinita”, o aparelho impressiona por seu visual, mas é bastante similar ao Galaxy S8+, lançado em março. Os dois produtos são parecidos em tamanho: 6,3 polegadas do Note 8, contra 6,2 polegadas do S8+. Em termos de especificações, o aparelho também tem capacidade de processamento e armazenamento similares ao S8+ – a maior diferença está na memória RAM, com 6 GB.

Para Roberta Cozza, analista da consultoria Gartner, o lançamento é um teste de mercado feito pela Samsung. “A empresa quer testar para saber se ainda vale a pena lançar um aparelho da linha Note”, diz a analista. Lançada em 2011, a linha da Samsung sempre se diferenciou de outros modelos por ter uma caneta própria, a S Pen, e pelas telas grandes, acima das 5 polegadas.

Com a evolução do mercado de smartphones, a empresa perdeu o destaque das telas grandes – cada vez mais populares, por exemplo, pelo crescente uso de vídeo nos celulares. Após o fracasso do ano passado, que custou US$ 5 bilhões e um risco à marca da Samsung, houve quem questionasse se a empresa voltaria a lançar um modelo Note. “Com pouca diferença de especificações, a Samsung quer saber o quanto a caneta e detalhes específicos importam para os usuários”, diz Roberta.

O momento crítico na história da maior fabricante de smartphones do mundo foi lembrado pelo presidente da divisão de dispositivos móveis da Samsung, DJ Koh, no evento. “Ninguém vai esquecer o que aconteceu em 2016”, disse Koh.

O tom de pedido de desculpas, porém, dividiu espaço com alfinetadas à Apple, maior rival da Samsung no mercado de smartphones. No palco, os executivos da sul-coreana fizeram piadas com a inferioridade do iPhone em aspectos como câmera e fone de ouvido.

Isso porque em 2016, o iPhone desistiu da tradicional entrada de fones de ouvido, de 3,5 mm, em prol de design e mais espaço para a bateria. “O nosso fone continua normal, obrigado”, disse Justin Denison, vice-presidente de estratégia de produto da Samsung.

Para analistas, o novo Galaxy Note 8 pôs a Samsung em pé de igualdade com o atual modelo da Apple, o iPhone 7, lançado em setembro de 2016. No entanto, ao arriscar pouco, a sul-coreana deixou sua rival em situação “confortável” para seu próximo lançamento. Tradicionalmente, a Apple revela uma nova edição do iPhone na primeira quinzena de setembro.

Este ano, a expectativa para o novo smartphone da empresa de Tim Cook é maior, por conta do aniversário de 10 anos do primeiro modelo. “O novo iPhone deve ter melhorias significativas em câmera, tela e design. Vai ser competição dura para a Samsung”, avalia Roberta.

Com informações da Agência Estado

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/08/jornal-do-comercio-samsung-apresenta-o-novo-galaxy-note-8-em-nova-iorque.br_conteudo/2017/08/economia/581480-samsung-apresenta-o-novo-galaxy-note-8-em-nova-iorque.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!