Jornal do Comércio >> Cobre sobe com dólar fraco após teste de míssil norte-coreano

Os futuros de cobre e de outros metais básicos operam em alta, à medida que o dólar se desvaloriza em meio a novas preocupações com a Coreia do Norte, que ontem realizou teste com um míssil balístico que sobrevoou o território do Japão antes de cair no mar.

Por volta das 7h30min (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 1,46%, a US$ 6.802,00 por tonelada, atingindo o maior nível desde setembro de 2014.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro tinha alta de 0,57%, a US$ 3,1035 por libra-peso, às 8h02min (de Brasília).

O índice DXY do dólar se enfraquece nesta manhã, uma vez que a tensão renovada com a Coreia do Norte favorece a demanda por moedas consideradas mais seguras, como o iene e o franco suíço.

Outro ativo beneficiado pela busca de segurança e pela fraqueza do dólar é o ouro. Também às 8h02min (de Brasília), o contrato do metal precioso com vencimento em dezembro avançava 0,81%, a US$ 1.326,00 por onça-troy.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, descreveu a ação da Coreia do Norte como uma inédita e grave ameaça, “que prejudica seriamente a paz e a segurança na região”, e pediu uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU.

Entre outros metais na LME, os ganhos era generalizados: o zinco avançava 1,61% às 7h30min (de Brasília), a US$ 3.118,00 por tonelada; enquanto o alumínio valorizava 0,75%, a US$ 2.087,00 por tonelada; o estanho aumentava 0,56%, a US$ 20.535,00 por tonelada; o níquel saltava 2,88%, a US$ 11.800,00 por tonelada; e o chumbo subia 2,30%, a US$ 2.379,00 por tonelada.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/582377-cobre-sobe-com-dolar-fraco-apos-teste-de-missil-norte-coreano.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!