Jornal do Comércio >> Ibovespa sobe 0,44% com menor tensão geopolítica no exterior

Depois de duas sessões de leve baixa, o Índice Bovespa voltou nesta terça-feira (29), ao terreno positivo, conduzido principalmente por uma melhora no quadro de aversão ao risco no mercado internacional. O índice fechou em alta de 0,44%, aos 71 329,85 pontos, na máxima do dia. Pela manhã, chegou a cair até 0,70%, quando os mercados refletiam a tensão geopolítica relacionada à Coreia do Norte e os Estados Unidos. A agenda política doméstica teve pouca influência sobre os negócios, mas predominou entre analistas e investidores uma percepção mais otimista em relação às votações no Congresso.

A alta do Ibovespa foi garantida em boa parte pelas ações do setor financeiro, que lideraram as realizações de lucros nos dois últimos pregões. Os papéis operaram em alta durante todo o pregão, mas aceleraram o ritmo no final da sessão de negócios. Itaú Unibanco PN, ação de maior peso na carteira do índice, subiu 0,91% e fechou na máxima do dia (R$ 41,09). Bradesco PN avançou 1,71%, também na máxima do dia (R$ 33,99).

Ao final dos negócios, a agência de classificação de risco Fitch reafirmou o rating global BB+ do Itaú Unibanco e o manteve em perspectiva negativa. O rating nacional AAA (bra) também foi reafirmado, o que, segundo a agência, reflete o perfil de crédito muito forte da instituição.

As ações ordinárias da Vale também foram destaque ao longo do dia, ao ignorarem a queda do minério de ferro no mercado chinês e subirem 0,23%. O papel respondeu por mais de R$ 500 milhões no pregão de hoje, o maior volume individual de negócios na B3. Embraer ON subiu 4,11% e foi a maior alta do Ibovespa. A ação respondeu a informações do jornal O Estado de S. Paulo de que o Itamaraty vai levar à Organização Mundial do Comércio (OMC) o caso que questiona subsídios do governo canadense à Bombardier.

Apesar de o mercado internacional ter sido a principal influência para a bolsa durante todo o dia, o investidor também manteve a atenção voltada ao Legislativo brasileiro, que tem uma extensa agenda de votações a cumprir na semana. Para hoje, o foco estava na votação dos destaques à Medida Provisória que cria a Taxa de Longo Prazo (TLP), que foi adiada para amanhã. Também houve expectativa com a votação da revisão das metas fiscais de 2017 e 2018. A condição para avançar nessas duas frentes é a votação de vetos presidenciais a 16 projetos que trancam a pauta e ainda eram votadas no final desta tarde.

“A expectativa continuou positiva em relação às matérias que tramitam no Congresso. TLP e revisão das metas fiscais são pontos importantes e a percepção é de que o governo está conseguindo de alguma forma endereçar temas relevantes”, disse Shin Lai, analista da Upside Investor.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/582565-ibovespa-sobe-0-44-com-menor-tensao-geopolitica-no-exterior.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!