Jornal do Comércio >> Eunício evita cravar se colocará novas metas fiscais em votação nesta quarta

O presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (PMDB-CE), evitou nesta noite de quarta-feira (30), cravar se conseguirá colocar em votação ainda hoje o projeto que autoriza um déficit maior nas contas públicas em 2017 e 2018. O plenário ainda está ocupado com a votação dos vetos presidenciais, que devem ser todas nominais, atrasando a apreciação das novas metas A previsão é que o projeto que altera os objetivos para um déficit de R$ 159 bilhões comece a ser debatido a partir das 22h, segundo o relator da proposta, deputado Marcus Pestana (PSDB-MG). Ou até 23h, na previsão de assessores legislativos.

“Não posso amarrar senadores nas cadeiras”, advertiu Eunício. A intenção do presidente do Congresso era liquidar a votação dos vetos ainda na terça-feira (29), para deixar a sessão desta quarta livre para a votação das metas, mas o baixo quórum de senadores acabou jogando oito vetos para a pauta hoje. É isso que está travando os trabalhos. Hoje mais cedo, a presença de senadores também foi um desafio para a obtenção do quórum necessário para a ordem do dia.

Após ser dominado por um clima de inércia na terça, o plenário do Congresso Nacional até tentou exibir um comportamento diferente hoje, dia crucial para a votação das novas metas, e estava mais cheio do que ontem. O acordo sobre o Refis e a edição de uma Medida Provisória (MP) para estender o prazo de adesão a 29 de setembro também contribui para aplacar os ânimos. Mas a intenção esbarra na estratégia da oposição de obrigar a votação nominal de todos os vetos presidenciais que trancam a pauta.

Dos oito vetos da pauta do Congresso Nacional, quatro já foram votados em quase três horas de sessão. O tempo de discussão tem ficado entre 40 minutos e uma hora. Eunício chegou a dizer que “não dá para entender a oposição”, que pede as votações nominais dos vetos para depois mantê-los. Sem usar as palavras, acusou a obstrução em curso.

Hoje mais cedo, o líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), disse que a base aliada estava preparada para garantir um quórum “mais significativo” e acelerar a votação das novas metas. Mas o maior problema agora tem sido com a demora na votação dos vetos.

Pestana, relator do projeto que amplia o rombo previsto para 2017 e 2018, demonstra otimismo. Segundo ele, a votação nominal dos vetos não deve atrapalhar a apreciação da mudança na meta. O tucano tem alertado parlamentares para o risco de a votação da proposta ser adiada novamente. Segundo ele, isso obrigaria o governo a enviar uma peça orçamentária “fictícia” ao Congresso Nominal, ainda sob uma meta de déficit de R$ 129 bilhões.

A dispersão da base na terça-feira foi percebida no mesmo dia em que presidente Michel Temer embarcou para nova viagem ao exterior. Como mostrou ontem o Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, as votações de vetos presidenciais, necessárias para limpar a pauta do Congresso Nacional e abrir caminho para a votação da mudança nas metas, andou a passos lentos e com espaço para atuação da oposição. A ausência dos líderes de governo no plenário em diversos momentos também foi percebida.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/politica/582955-eunicio-evita-cravar-se-colocara-novas-metas-fiscais-em-votacao-nesta-quarta.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!