Jornal do Comércio >> Rede de lojas de roupas femininas é alvo de ação da Receita Estadual

A Receita Estadual deflagrou, na manhã desta quarta-feira, a primeira de uma série de operações ostensivas voltadas ao combate a fraudes fiscais em empresas que integram o Simples Nacional. O alvo da Operação Fractio é a Lojas Graciosa, uma rede que atua no ramo de comércio varejista de vestuário feminino com pontos em Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo e Bento Gonçalves. As dívidas acumuladas com o Estado atingem o montante de R$ 2 milhões.

Na ação, que contou com a participação de 29 auditores fiscais e quatro técnicos tributários, foram feitas buscas administrativas simultâneas em sete localidades, incluindo um ponto do grupo que funciona em shopping center. A fraude vem sendo praticada por um único grupo familiar que simulava a abertura de diferentes empresas para fatiar o faturamento e se manter enquadrada dentro dos limites do regime, reduzindo o montante de impostos a serem recolhidos aos cofres públicos.

As irregularidades motivaram o nome da Operação Fractio, que significa “aquilo que é partido em pedaços”, em latim. O trabalho investigativo fiscal foi iniciado há cerca de seis meses pelas equipes da Receita Estadual, tendo como escopo empresas optantes pelo Simples Nacional, regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido, aplicável às microempresas e empresas de pequeno porte (Lei Complementar nº 123, de 2006).

Outras irregularidades praticadas também foram identificadas, como a omissão de entradas e saídas e o uso de interpostas pessoas para compor a sociedade. Ações em diversos outros segmentos estão previstas pela instituição.

As empresas optantes pelo Simples Nacional, para fins de opção e permanência no regime, podem auferir em cada ano-calendário receita bruta anual de até R$ 3,6 milhões. Diante disso, muitas empresas que possuem faturamento superior ao limite adotam a estratégia de se dividir em outras menores para seguir usufruindo os benefícios. Atualmente, o Estado conta com cerca de 224 mil contribuintes inscritos no Simples Nacional, que correspondem a 77% do total de inscrições.

O alto número, conforme afirma o chefe da Divisão de Fiscalização e Cobrança da Receita Estadual, Edison Moro Franchi, aumenta ainda mais a importância da operação. “O uso indevido dos benefícios do Simples promove a concorrência desleal e a sonegação de impostos. Ações como a de hoje são fundamentais para combater essas práticas, aumentando os recursos à disposição da sociedade”, destacou Franchi.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/582856-rede-de-lojas-de-roupas-femininas-e-alvo-de-acao-da-receita-estadual.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!