Jornal do Comércio >> Banco do Brics já aprovou 11 projetos para financiamentos

O vice-presidente para Risco, Estratégia, Parcerias e Pesquisas do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), também conhecido como Banco do Brics, Paulo Nogueira Batista Júnior, informou, nesta quinta-feira, que a instituição aprovou quatro novos projetos (dois na China, um na Índia e outro na Rússia), o que eleva para 11 o número de empréstimos concedidos desde que o banco entrou em operação, em 2015. O valor total dos financiamentos é de US$ 3 bilhões.

Com sede em Xangai, o banco financia projetos de infraestrutura e de desenvolvimento sustentável nos países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), mas as operações podem ser estendidas a nações em desenvolvimento que desejem fazer empréstimos com a instituição.

O executivo também informou que o banco está planejando incorporar novos membros. “Já começamos a discutir com países potencialmente interessados”, disse. “O banco vai expandir gradualmente o número de membros. Não temos ainda capacidade operacional de absorver muitos de uma vez. A expectativa é de que, no final de 2021, o banco terá presença em todas as regiões do mundo.”

Batista Júnior citou que apenas três projetos do NBD até agora foram fechados em moeda local – sempre o yuan chinês. Em abril, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) assinou acordo com o Novo Banco de Desenvolvimento, que prevê empréstimo inicial no valor de US$ 300 milhões para apoio a investimentos em geração de energias renováveis no Brasil. “Há novos projetos em discussão sendo estudados para o Brasil”, disse Batista Júnior.

Ele lembrou que, no ano passado, os governadores da instituição autorizaram a instituição a iniciarem conversas com países potencialmente interessados em fazer parte do banco. Em abril de 2017, aprovaram o documento que define todas as etapas de adesão que devem ser seguidas pelos novos membros. “O plano para daqui a cinco anos é ter participantes de todas as regiões do mundo. Se tornar um banco de alcance global. Para este ano, ainda está em discussão”, disse.

A intenção, de acordo com o vice-presidente, é fazer com que essa expansão ocorra de forma gradual. “Não temos condição de absorver um grande número de países novos. O banco está começando, e, se entram muitos membros, não conseguiremos corresponder às expectativas dos novos entrantes”, considerou.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/08/economia/583156-banco-do-brics-ja-aprovou-11-projetos-para-financiamentos.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!