Jornal do Comércio >> Dólar recua e fecha aos R$ 3,11 em meio ao otimismo com governo

O dólar rompeu o importante patamar dos R$ 3,12 e fechou cotado nesta terça-feira (5), aos R$ 3,1167 – menor nível em pouco mais de um mês -, o que, segundo especialistas, reflete a melhora da percepção em relação ao cenário político e não apenas ao quadro econômico.

O gatilho para isso foi o relato de ontem do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que sinalizou a possibilidade de anulação do acordo de delação premiada do dono da JBS, Joesley Batista, e de executivos do grupo, devido à omissão de crimes e referências indevidas ao Ministério Público e ao Supremo Tribunal Federal. Diante disso, o mercado encarou o episódio como um fator de enfraquecimento da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer e, consequentemente, um fortalecimento do governo para seguir adiante com a reforma da Previdência.

“A queda do dólar foi um importante teste para ver o quanto o câmbio tinha de gordura com a parte política e o quanto tinha de gordura com a parte econômica”, pontuou o diretor de câmbio do Banco Paulista, Tarcísio Rodrigues. Segundo ele, o dólar vinha numa tendência de baixa devido aos indicadores econômicos positivos e hoje mostrou força com o lado político, uma vez que há chance de retomada de confiança de parlamentares no governo.

De acordo com o economista-chefe do Banco Fibra, Cristiano Oliveira, “após o anúncio de ontem de Janot, o cenário político começa a ganhar mais força, uma vez que o presidente Michel Temer pode voltar a ter a tração parlamentar que tinha antes e seguir com a reforma da Previdência”.

“O dólar pode até buscar um patamar ainda mais baixo se notarmos um avanço das reformas, no entanto, não podemos esquecer o risco no cenário internacional com os desdobramentos da Coreia do Norte”, acrescentou o diretor do Banco Paulista.

Hoje, no início da tarde, a moeda americana chegou a renovar máximas ante o real em meio a uma piora em Wall Street depois que a Coreia do Norte divulgou comunicado afirmando que irá responder “do nosso próprio jeito” a qualquer nova sanção que possa ser imposta ao país, após o último teste de míssil no domingo, considerado o mais forte já lançado pelo regime de Pyongyang.

No mercado à vista, o dólar terminou em baixa de 0,68%, aos R$ 3,1167. O giro financeiro somou US$ 1,38 bilhão. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,1126 (-0,81%) e, na máxima, aos R$ 3,1278 (-0,32%).

No mercado futuro, o dólar para outubro caiu 0,79%, aos R$ 3,1275. O volume financeiro movimentado somou US$ 15,51 bilhões. Durante o pregão, a divisa oscilou de R$ 3,1225 (-0,95%) a R$ 3,1380 (-0,45%).

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/584093-dolar-recua-e-fecha-aos-r-3-11-em-meio-ao-otimismo-com-governo.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!