Jornal do Comércio >> Bolsas fecham sem direção única em Nova Iorque, influenciadas pelo furacão Irma

Os mercados acionários americanos fecharam sem direção única nesta sexta-feira (8), influenciados pela aproximação do furacão Irma dos Estados Unidos e pela crescente tensão entre Washington e Pyongyang.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,06%, aos 21.797,79 pontos; o S&P 500 recuou 0,15%, aos 2.461,43 pontos; e o Nasdaq teve baixa de 0,59%, aos 6.360,19 pontos

As companhias de seguros registraram forte queda nesta semana devido aos danos causados pelo furacão Harvey na semana passada e com a perspectiva da chega do Irma no Estado da Flórida no fim de semana. Na semana, a RenaissanceRe Holdings e o Everest Re Group caíram 6,4% e 10%. Nesta sexta-feira, porém, as duas companhias registraram um movimento de recuperação, com alta de 4,13% e de 4,97%, respectivamente.

As preocupações com a aproximação do Irma fizeram com que o governo da Flórida pedisse para que as pessoas saíssem de áreas que potencialmente seriam atingidas no Estado. Empresas também se prepararam para a chegada da tormenta: a Walt Disney e a Comcast anunciaram o fechamento de seus parques temáticos por pelo menos dois dias. O Walt Disney World e o Universal Orlando Resort, da Comcast, fecharão a maior parte dos parques temáticos em Orlando a partir deste sábado. A Walt Disney subiu 0,01% nesta sexta-feira e a Comcast recuou 1,01%.

Bancos, credores e outras companhias financeiras recuperaram parte das perdas durante o pregão, após o discurso do presidente da distrital de Nova Iorque do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), William Dudley. O dirigente deixou aberta a possibilidade de uma alta nos juros em dezembro, ao não descartar uma nova elevação neste ano. Para ele, a inflação baixa não necessariamente é um sinal negativo para a economia, desde que a baixa demanda não seja a causa subjacente. O Goldman Sachs subiu 0,63% e o Citigroup ganhou 0,17%.

Já os papéis da Equifax registraram um tombo de 13,66% depois que a companhia reportou um grande vazamento de dados, que afeta mais da metade da população adulta dos EUA.

As tensões geopolíticas envolvendo a Coreia do Norte, por sua vez, apoiaram a alta de companhias de defesa, com a perspectiva de que o regime de Kim Jong-un faça um novo lançamento de míssil neste fim de semana. A Boeing ganhou 1,05%, a Lockheed Martin avançou 0,18% e a Raytheon teve alta de 0,22%. 

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/584631-bolsas-fecham-sem-direcao-unica-em-nova-iorque-influenciadas-pelo-furacao-irma.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!