Jornal do Comércio >> Após 7 pregões seguidos em queda, dólar sobe com entrada de importadores

O dólar fechou em alta nesta segunda-feira (11), após inverter a queda e subir durante a tarde diante da entrada massiva de fluxo de importadores, além de um movimento técnico de zeragem de posições, de acordo com profissionais do mercado. Pela manhã, a moeda americana operou em leve baixa em meio a um cenário externo mais tranquilo, expectativa com a votação da reforma da Previdência em outubro.

Após sete pregões seguidos de queda, o dólar avançou depois de encontrar suporte no patamar de R$ 3,08. De acordo com o diretor da Correparti, Ricardo Gomes da Silva, não houve movimento comprador pela manhã, uma vez que o importador operou na expectativa para ver qual leitura o mercado faria em relação aos acontecimentos políticos do final de semana, com destaque para a prisão do empresário Joesley Batista e do executivo Ricardo Saud, da J&F. “Depois que o importador viu que o otimismo manteve o dólar no patamar dos R$ 3,08, ele encontrou espaço para compra”, destacou o diretor.

O movimento de compra levou a moeda americana até o patamar de R$ 3,10. “No entanto, este nível não deve ser facilmente ultrapassado porque abre espaço para venda de exportador”, explicou Gomes da Silva, acrescentando que este é um patamar considerado confortável pelos investidores.

O operador da corretora Multimoney Durval Corrêa observou também um movimento de zeragem de posições. “Tivemos pela manhã muita entrada de investidor estrangeiro com destino à bolsa, que atingiu patamar histórico. À tarde, porém, vimos alguns deles zerando posições, após terem ganhado bastante, o que contribuiu para o movimento altista do dólar”, pontuou.

Ainda que o dólar tenha terminado em alta, o cenário externo e interno segue positivo. Os especialistas do mercado destacaram otimismo com a reforma da Previdência depois que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, repetiu que as discussões sobre a reforma foram retomadas. “A expectativa é que a reforma seja votada no Congresso em outubro”, escreveu o ministro em sua conta no Twitter.

Nos EUA, a moeda americana avançou diante da redução das tensões relacionadas à Coreia do Norte, depois que nenhum teste nuclear foi realizado durante o final de semana. Além disso, o furacão Irma atingiu a Flórida de forma menos intensa do que era esperada, o que levou o mercado a projetar que os custos para a economia do país serão menores.

No mercado à vista, o dólar fechou em alta de 0,39%, aos R$ 3,1052. O giro financeiro somou US$ 1,81 bilhão. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,0792 (-0,83%) e, na máxima, aos R$ 3,1062 (+0,38%).

No mercado futuro, o dólar para outubro subiu 0,45%, aos R$ 3,1100. O volume financeiro movimentado somou US$ 13,91 bilhões. Durante o pregão, a divisa oscilou de R$ 3,0940 (-0,06%) a R$ 3,1150 (+0,61%).

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/584881-apos-7-pregoes-seguidos-em-queda-dolar-sobe-com-entrada-de-importadores.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!