Jornal do Comércio >> Mercado ignora cenário político e dólar fecha em baixa com fluxo estrangeiro

O dólar arrefeceu os ganhos nesta tarde de sexta-feira (15), e terminou em queda ante o real em meio a uma entrada acentuada de dólares no País com destino à bolsa, que chegou próximo ao patamar dos 76 mil pontos, diante do otimismo do mercado com o cenário econômico. Houve também um enfraquecimento nas operações em relação à rolagem de swap cambial anunciado pelo Banco Central. A segunda denúncia protocolada ontem pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer não influenciou os negócios.

De acordo com o operador da corretora Multimoney Durval Corrêa, o mercado tem olhando mais para a melhora econômica do País. Pela manhã, o dólar chegou a subir com mais força em um movimento de ajuste impulsionado pela rolagem parcial dos contratos de swap cambial pelo Banco Central que pode totalizar até US$ 6,0 bilhões, dos quase US$ 10,0 bilhões a vencer no início de outubro.

De acordo com o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo, após o mercado digerir o tamanho da rolagem de swap cambial, o dólar ficou enfraquecido. “Ainda que seja parcial, com uma rolagem de 60% do valor total, o BC tira a pressão que o dólar vinha tendo, após um mês (de setembro) sem rolagem”, pontuou. Galhardo acrescentou que, embora não seja completa, como o valor total é o maior do ano, o valor diário que será injetado no mercado é relevante. “Querendo ou não, o mercado, que já vinha com liquidez robusta, poderá contar com mais US$ 600 milhões por dia”, explicou.

Em meio a isso, o cenário político, mais uma vez, ficou em segundo plano. Temer foi denunciado ontem por Janot por obstrução da Justiça e organização criminosa no âmbito das delações dos executivos do grupo J&F. Além disso, a denúncia utiliza os elementos colhidos pela Polícia Federal em investigação sobre o chamado “quadrilhão do PMDB da Câmara”.

Nem mesmo a constatação de que esse imbróglio pode atrasar o andamento da votação da reforma da Previdência foi capaz de pesar no humor dos investidores. Isso porque o mercado interpreta que, como Temer saiu vitorioso na primeira denúncia, em junho, também terá ganhos na segunda.

Um gerente de mesa de derivativos observou que o fato de Janot ter protocolado duas denúncias de uma só vez, que envolve outros partidos, acabou beneficiando Temer. “Tem tantos políticos envolvidos que eles terão que entrar num acordo e vai acabar não acontecendo nada”, apontou.

No mercado à vista, o dólar fechou em baixa de 0,11%, aos R$ 3,1132. O giro financeiro somou US$ 1,58 bilhão. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,1122 (-0,12%) e, na máxima, aos R$ 3,1322 (+0,50%). Na semana, o dólar terminou com ganho de 0,65%.

No mercado futuro, o dólar para outubro caiu 0,24%, aos R$ 3,1185. O volume financeiro movimentado somou US$ 16,94 bilhões. Durante o pregão, a divisa oscilou de R$ 3,1180 (-0,25%) a R$ 3,1390 (+0,41%).

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/585970-mercado-ignora-cenario-politico-e-dolar-fecha-em-baixa-com-fluxo-estrangeiro.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!