Jornal do Comércio >> Acusação de Funaro de que Temer recebeu propina fortalece dólar

O dólar acelerou os ganhos ante o real nesta tarde de quinta-feira (21), depois da notícia de que o doleiro Lúcio Bolonha Funaro afirmou em depoimento à Procuradoria-geral da República (PGR) que o presidente Michel Temer foi um dos destinatários de propina paga pela Odebrecht e Andrade Gutierrez em uma obra da estatal Furnas no Rio Madeira, em Porto Velho, Rondônia. O movimento de alta já vinha desde cedo diante da cautela com o cenário geopolítico, após os EUA anunciar novas sanções contra a Coreia do Norte. Além disso, os investidores seguiram digerindo a possibilidade de o Federal Reserve (Fed) elevar os juros neste ano.

De acordo com um profissional do mercado, a notícia envolvendo Temer gerou cautela principalmente entre os investidores estrangeiros. Para o diretor de câmbio da Abrão Filho, Fernando Oliveira, “a notícia pesa no mercado no sentido que atrasa as reformas estruturais e desgasta politicamente o governo, o que dificulta ainda mais a chance de aprovação da reforma da Previdência”.

Em nota, o Planalto rebateu a acusação do doleiro Funaro, conhecido como operador do PMDB da Câmara, dizendo que ele “mais uma vez desinforma as autoridades do Ministério Público Federal”, acrescentando que “Funaro continua espalhando mentiras e inverdades de forma contumaz”.

O dólar já vinha em alta desde mais cedo em meio à cautela geopolítica. Hoje, o presidente americano, Donald Trump, anunciou novas medidas contra a Coreia do Norte ao assinar um decreto que autoriza o Departamento do Tesouro dos EUA impor uma gama de sanções, como suspender o acesso à conta correspondente nos EUA de qualquer banco estrangeiro que realize ou facilite transações ligadas ao comércio com Pyongyang.

Diante disso, o dólar subiu ante a maioria das moedas emergentes em uma busca maior por segurança. O índice do Dólar – que mensura a divisa dos EUA ante outras moedas fortes – também sinalizou busca por proteção. No entanto, o comportamento do dólar ante o iene – que é considerado um porto seguro – foi positivo. De acordo com profissionais do mercado, este destaque refletiu ainda a percepção do mercado de que os juros nos EUA podem realmente subir em dezembro, como sugeriu o Fed ontem.

No mercado à vista, o dólar fechou em alta de 0,38%, aos R$ 3,1423. O giro financeiro somou US$ 1,54 bilhão. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,1257 (-0,15%) e, na máxima, aos R$ 3,1471 (+0,53%).

No mercado futuro, o dólar para outubro subiu 0,16%, aos R$ 3,1420. Durante o pregão, a divisa oscilou de R$ 3,1420 (+0,15%) a R$ 3,1510 (+0,44%).

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/586810-acusacao-de-funaro-de-que-temer-recebeu-propina-fortalece-dolar.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!