Jornal do Comércio >> Juros fecham em baixa com IPCA-15 e relatório de inflação do BC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo -15 (IPCA-15) de setembro abaixo da mediana das estimativas e os números do Relatório Trimestral de Inflação (RTI) sustentaram os juros futuros em queda até o fechamento da sessão regular desta quinta-feira (21), a despeito da piora vista nas ações e câmbio domésticos. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2018 fechou em 7,565%, de 7,580% no ajuste da quarta-feira, e a do DI para janeiro de 2019 caiu de 7,37% para 7,30%.

A taxa do DI para janeiro de 2020 passou de 8,17% para 8,05% e a do DI janeiro de 2021, de 8,82% para 8,72%. A taxa do DI para janeiro de 2023 fechou em 9,37%, de 9,47%.

Tanto o documento, que trouxe as estimativas do Banco Central para o IPCA até 2020, quanto o índice de inflação sinalizaram que o cenário para os preços é bastante tranquilo, confirmando a manutenção da Selic em níveis baixos por muito tempo, provavelmente ao longo de todo o ano de 2018.

No cenário de mercado, com câmbio e Selic da pesquisa Focus, as projeções do BC para o IPCA são de 3,2%, 4,3%, 4,2% e 4,1% para os anos de 2017 a 2020, e, se confirmadas, estarão todas dentro das metas estipuladas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Já o IPCA-15 de setembro ficou em 0,11%, menor patamar para o mês desde 2006 (0,05%), e abaixo da mediana das estimativas coletadas pelo Projeções Broadcast, que era de 0,14%.

“O IPCA-15 veio muito bem, deixando a ponta curta da curva ainda mais tranquila, enquanto as projeções do RTI para o longo prazo ajudaram os vencimentos entre 2019 e 2021”, afirmou o estrategista de renda fixa da Coinvalores, Paulo Nepomuceno.

O RTI e a entrevista do diretor de Política Econômica do BC, Carlos Viana, endossaram a mensagem recente de que o ciclo de ajuste da Selic deve ser encerrado de maneira gradual e que a autoridade monetária vê neste momento uma redução do corte na reunião de outubro como moderada. Com isso, a precificação para a Selic na curva a termo segue sendo de cortes de 0,75 ponto porcentual para a reunião de outubro e de 0,50 ponto para dezembro, com a Selic encerrando o ano em 7%.

Pouco antes do fechamento deste texto, o Ministério do Trabalho divulgou o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), com saldo positivo de 35.457 vagas em agosto, melhor resultado para o mês desde 2014.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/586766-juros-fecham-em-baixa-com-ipca-15-e-relatorio-de-inflacao-do-bc.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!