Jornal do Comércio >> Simulador do Tesouro compara retorno de aplicações na renda fixa

O Tesouro colocou no ar, nesta quinta-feira, o simulador que permite que o investidor calcule em quanto tempo ele consegue atingir uma meta financeira aplicando em títulos públicos e que compara o retorno oferecido com o de alternativas populares na renda fixa. O simulador (simulador.tesourodireto.com.br/#/inicio) é destinado tanto a quem já tem conhecimento dos diferentes títulos quanto a quem não faz ideia de por onde começar a investir nesses papéis.

Na primeira tela, o investidor precisa responder se conhece os títulos ou se quer apenas simular o investimento. Se quiser entender mais sobre os papéis, é questionado sobre qual o objetivo financeiro, por quanto tempo pretender deixar o dinheiro aplicado e qual o seu perfil de investidor. Ele também deve indicar como prefere receber os juros, se a cada seis meses ou se no final do período. O simulador aponta, então, o título mais adequado ao objetivo e ao perfil desse investidor.

Se quiser somente calcular a rentabilidade, o investidor deve clicar em “simular”, na tela inicial. Depois, precisa escolher um título – há indicações sobre o prazo e informações sobre características (prefixado ou pós-fixado) e sobre a remuneração dos juros.

Ao clicar em simular, é levado a uma página na qual deve indicar quanto ele quer investir hoje ou o valor que deseja resgatar no futuro. Nesse último caso, o poupador ainda precisa informar se vai aplicar o dinheiro uma única vez ou se fará aportes mensais.

A seguir, a ferramenta compara o ganho dos títulos públicos com o de aplicações de renda fixa, como CDBs e LCIs (títulos bancários), poupança e fundos de investimento conservadores.

O lançamento faz parte de uma campanha para atrair mais investidores para o Tesouro Direto, onde são vendidos os títulos do governo. Dentro da iniciativa também está a oferta de 8 mil vagas para um curso on-line sobre títulos públicos.

Metade está disponível desde segunda-feira, com carga horária de até 30 horas. Para participar, é preciso acessar o site da Escola de Administração Fazendária, ou a página do Tesouro Direto. As outras vagas serão liberadas até o fim do ano.

Até julho, o Tesouro Direto tinha cerca de 1,54 milhão de participantes inscritos. Desses, 520.624 estavam ativos.

O QUE É: Papéis da dívida pública federal que podem ser comprados pelo investidor direto do governo. Investidor decide que títulos comprar e vende quando quiser. Governo garante a recompra

COMO INVESTIR: Investidor se cadastra em instituição autorizada pelo Tesouro e recebe senha para área restrita, em que são feitas as operações. No site do Tesouro há preços e taxas dos títulos

SISTEMA INTEGRADO: Algumas instituições têm sistema integrado ao Tesouro. Nesse caso, compras podem ser feitas no site delas, mas acesso restrito segue para consultas

VALOR MÍNIMO: Quantidade mínima de compra é a fração de 0,01 título, ou seja, 1% do valor de um título, desde que seja respeitado o limite de R$ 30,00 a R$ 1 milhão por mês

 

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/09/jornal-do-comercio-simulador-do-tesouro-compara-retorno-de-aplicacoes-na-renda-fixa.br_conteudo/2017/09/economia/586861-simulador-do-tesouro-compara-retorno-de-aplicacoes-na-renda-fixa.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!