Valor >> Juro deve cair a patamares recordes e por longo prazo

Ao divulgar ontem o Relatório de Inflação, o Banco Central (BC) deixou claro que vai continuar reduzindo a taxa básica dos juros (Selic) e que a economia conviverá com juros historicamente baixos por um bom tempo. No documento, o BC indica que, mesmo que a Selic caia dos atuais 8,25% para 7% ao ano e seja mantida nesse patamar até o fim de 2018, o IPCA ficará dentro das metas fixadas até 2020.

O mercado, agora, trabalha com a possibilidade de a Selic cair abaixo de 7% no início do próximo ano. Com isso, o juro básico, que serve de referência para toda a economia, cairia ao menor nível da história. Analistas acreditam que, dado o forte recuo do IPCA, que nos 12 meses até agosto ficou em 2,5%, mesmo valor da prévia da inflação de setembro (IPCA-15), a queda dos juros, desta vez, é sustentável.

A expectativa de juros e inflação menores já leva os economistas a revisar, para cima, as projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este e o próximo ano. A Tendências Consultoria Integrada, por exemplo, mudou de 0,3% para 0,7% a projeção de alta do PIB para 2017 e manteve em 2,8% a estimativa para 2018.

O otimismo com a recuperação da economia se dissemina, mesmo diante da crise política que ameaça o mandato do presidente Michel Temer, denunciado duas vezes pela Procuradoria-Geral da República, e da consequente falta de condições para aprovar a reforma da Previdência, considerada crucial para o reequilíbrio das contas públicas.

“Agora estamos conseguindo ver o copo meio cheio”, disse Mário Torós, ex-diretor do BC e hoje sócio da Ibiúna Investimentos, que atribui o mérito à área econômica do governo. Ele destaca a antecipação do pagamento de R$ 180 bilhões do BNDES ao Tesouro Nacional. A medida ajudará a manter a dívida pública estável em 2018, depois de anos de escalada.

Fonte Oficial: http://www.valor.com.br/financas/5129438/juro-deve-cair-patamares-recordes-e-por-longo-prazo.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!