Jornal do Comércio >> Após forte queda nas últimas sessões, juros futuros fecham perto da estabilidade

Os juros futuros encerraram a sessão regular próximas da estabilidade, com viés de baixa na ponta curta e de alta na parte mais longa. Após a intensa queda vista nos últimos dias, as taxas oscilaram pouco nesta sexta-feira de agenda local sem destaques.

No fim da sessão regular, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 terminou a 7,27%, mínima, de 7,30%, e a do DI para janeiro de 2020 ficou em 8,06%, de 8,05% no ajuste de quinta. A taxa do DI para janeiro de 2021 terminou em 8,73%, de 8,72%, e a do DI para janeiro de 2023 passou de 9,37% para 9,39%.

As taxas começaram o dia em queda, mas ainda pela manhã se deslocaram para perto dos ajustes, rondando aqueles patamares até o fim da sessão. O economista da BGC Liquidez Alfredo Barbutti afirma que o mercado passou o dia por uma acomodação, à espera de uma “nova onda de notícias” que possam estimular a montagem ou redução de posições. “Como o mercado fechou taxa nos últimos dias, é natural que haja uma parada no movimento”, observou.

O alívio de prêmios intenso na curva nas sessões recentes foi embalado pela melhora na perspectiva de queda da inflação e da Selic, sobretudo após a divulgação do Relatório Trimestral de Inflação (RTI) e do IPCA-15 de setembro, na quinta-feira.

Nesta sexta à tarde, o Ministério do Planejamento divulgou o relatório bimestral de receitas e despesas, que prevê o descontingenciamento de R$ 12,824 bilhões de recursos. O ministro Dyogo Oliveira afirmou que o “alívio é muito pequeno” para os órgãos da administração pública e que qualquer novo recurso que entre nos cofres da União deve ser usado para liberar mais despesas, em vez de ajudar a melhorar o resultado primário deste ano.

Ainda, no documento, o governo reduziu a previsão de Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2017, de 3,7% no documento do segundo bimestre, para 3,5%, e manteve a estimativa de crescimento de 0,5% do PIB este ano. O relatório não chegou a influenciar as taxas futuras.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/587019-apos-forte-queda-nas-ultimas-sessoes-juros-futuros-fecham-perto-da-estabilidade.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!