Jornal do Comércio >> Projeção de receitas em 2017 cai R$ 7,77 bilhões ante relatório do 3º bimestre

O Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do quarto bimestre, divulgado nesta sexta-feira pelo Ministério do Planejamento, computou uma queda de R$ 7,771 bilhões nas receitas totais projetadas para 2017, em relação às previsões feitas pelo governo ao fim do terceiro bimestre.

Entre as principais novas estimativas sobre a entrada de recursos no cofres públicos neste ano está o corte de R$ 8,887 bilhões em receita administrada. Nesse segmento, houve queda de R$ 4,160 bilhões em arrecadação com o Refis, cujo total antes era de R$ 13 bilhões. Agora, a estimativa do Refis é de R$ 8,84 bilhões. Até agosto, a arrecadação com Refis foi de R$ 5,455 bilhões.

O Planejamento também cortou a previsão de receita com repatriação de recursos do exterior em R$ 1,283 bilhão. Antes, a previsão era de R$ 2,852 bilhões.

Por outro lado, as receitas previstas com concessões aumentaram R$ 2,946 bilhões, devido à antecipação da outorga do aeroporto do Galeão no Rio. Com isso, a arrecadação com concessões prevista este ano passou de R$ 25,686 bilhões para R$ 28,632 bilhões.

Pelo lado das despesas, a projeção de gastos em 2017 aumentou R$ 2,269 bilhões. Entre as principais revisões de despesas estão o aumento de R$ 2,015 bilhões das despesas com controle de fluxo do poder executivo e a elevação de R$ 1,347 bilhão da despesa com seguro desemprego.

Com as mudanças, a projeção de receita primária total de 2017 passou de R$ 1,380 trilhão para R$ 1,372 trilhão, e a receita líquida – livre de transferências – passou de R$ 1,149 trilhão para R$ 1,144 trilhão.

Já a estimativa para as despesas primárias neste ano passou de R$ 1,288 trilhão para R$ 1,290 trilhão.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/586976-projecao-de-receitas-em-2017-cai-r-7-77-bilhoes-ante-relatorio-do-3-bimestre.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!