Jornal do Comércio >> Seria imprudente manutenção dos juros até que inflação alcance meta, diz Yellen

A presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Janet Yellen, defendeu nesta terça-feira a projeção da instituição para uma elevação gradual nas taxas de juros dos Estados Unidos nos próximos anos, embora tenha ponderado que a baixa inflação, caso se mostre persistente, poderia levar a um aperto monetário mais lento. “Seria imprudente manter a política monetária inalterada até que a inflação alcance a meta de 2%”, disse.

Yellen e outros dirigentes do Fed têm enfrentado um crescimento moderado da inflação durante a maior parte do ano, apesar do Produto Interno Bruto (PIB) em forte crescimento e um mercado de trabalho em quase pleno emprego. Isso tem apresentado aos dirigentes um dilema: de um ponto de vista, as leituras fracas de inflação podem ser um sinal de que as taxas de juros devem permanecer abaixo do previsto. No entanto, manter as taxas de juros baixas por muito tempo poderia fazer com que a inflação crescesse rapidamente e inflasse novas bolhas financeiras.

A inflação tem ficado abaixo da meta de 2% do Fed nos últimos anos. Embora Yellen diga esperar que os preços se movam gradualmente para a meta, ela reconheceu a incerteza em torno dessa previsão. “Como a política deve ser formulada diante dessas incertezas significativas? Na minha opinião, ganha força o argumento para um ritmo gradual de ajustes”, disse Yellen, em declaração preparada para uma conferência econômica em Cleveland.

Subir os juros rápido demais poderia diminuir o crescimento desnecessariamente, disse a dirigente. “Mas devemos nos preocupar com elevar as taxas de juros gradualmente”, acrescentou. Apara ela, um aperto monetário muito devagar poderia criar um problema inflacionário que poderia ser difícil de superar sem provocar uma recessão.

Ainda assim, a compreensão do Fed sobre a inflação é “imperfeita”, disse, “e reconhecemos que algo mais persistente pode ser responsável pela falta de conhecimento atual”. A dirigente também ressaltou que os dirigentes continuarão a monitorar os dados recebidos “e estaremos prontos para modificar nossos pontos de vista com base no que for visto”.

Em seu discurso, Yellen também comentou que a política persistentemente frouxa pode “prejudicar a estabilidade Financiera” e que o mercado de trabalho ainda tem um caminho a percorrer antes de se curar completamente da recessão. Para ela, o crescimento dos salários é lento, “talvez porque a produção esteja lenta”. De acordo com a dirigente, essas condições poderiam “resultar em um caminho de política que seja um pouco mais frouxo do que o previsto atualmente”.

Para a dirigente, a experiência anterior não exclui a possibilidade de que haja uma “folga” no mercado de trabalho, enquanto os dados sugerem que o mercado de trabalho esteja saudável no geral, e não superaquecido. Para ela, a taxa de desemprego sustentável hoje pode ser mais baixa do que no passado. O atual nível da taxa de desemprego dos Estados Unidos está em 4,4%, próximo do nível mais baixo desde 2001.

“A competição da China, dos mercados emergentes pode ter restringido margens de preços”, disse Yellen, afirmando, ainda, que a inflação pode subir mais rápido com condições mais robustas do mercado de trabalho. A expectativa da dirigente é de que os dados sobre inflação nos próximos meses irão subir, convergindo para a meta de 2% no médio prazo.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/587541-seria-imprudente-manutencao-dos-juros-ate-que-inflacao-alcance-meta-diz-yellen.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!