Jornal do Comércio >> Setor público tem déficit primário de R$ 9,529 bilhões em agosto, revela Banco Central

Em meio às dificuldades do governo na área fiscal, o setor público consolidado (Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção de Petrobras e Eletrobras) apresentou déficit primário de R$ 9,529 bilhões em agosto, informou nesta sexta-feira (29) o Banco Central, por meio da Nota de Política Fiscal. Em julho, havia sido registrado déficit de R$ 16,138 bilhões e, em agosto de 2016, um déficit de R$ 22,267 bilhões.

O déficit primário consolidado do mês passado ficou perto do teto do intervalo das estimativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que iam de saldo negativo de R$ 13,1 bilhões a R$ 9 bilhões. A mediana estava negativa em R$ 10,8 bilhões.

Apesar do déficit primário de R$ 9,529 bilhões em agosto, este é o melhor resultado para o mês desde 2015, quando o déficit foi de US$ 7,310 bilhões.

O resultado fiscal de agosto foi composto por um déficit de R$ 9,916 bilhões do Governo Central (Tesouro, Banco Central e INSS). Os governos regionais (Estados e municípios) influenciaram o resultado positivamente com R$ 498 milhões no mês. Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 78 milhões, os municípios tiveram resultado positivo de R$ 421 milhões. Já as empresas estatais registraram déficit primário de R$ 111 milhões.

As contas do setor público acumularam um déficit primário de R$ 60,850 bilhões no ano até agosto. A quantia representa 1,41% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, havia déficit primário de R$ 58,859 bilhões (1,43% do PIB).

O resultado fiscal no acumulado de janeiro a agosto foi obtido com um déficit de R$ 78,648 bilhões do Governo Central (1,82% do PIB). Os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram um saldo positivo de R$ 16,843 bilhões (0,39% do PIB).

Enquanto os Estados registraram superávit de R$ 13,428 bilhões (0,31% do PIB), os municípios alcançaram um resultado positivo de R$ 3,415 bilhões (0,08% do PIB). As empresas estatais registraram um superávit de R$ 955 milhões no ano até agosto (0,02% do PIB).

Segundo o BC, as contas do setor público acumulam um déficit primário de R$ 157,782 bilhões em 12 meses até agosto, o equivalente a 2,44% do PIB. Este porcentual é o menor desde abril deste ano (2,27%).

O déficit primário do setor público consolidado considerado pelo governo é de R$ 163,1 bilhões para 2017, parâmetro que passou a ser referência após revisão da meta, anunciada em agosto. Essa projeção leva em conta um rombo de R$ 159,0 bilhões para o Governo Central em 2017.

Para o próximo ano, a meta do governo também é de déficit de R$ 163,1 bilhões para o setor público consolidado e de R$ 159,0 bilhões para o Governo Central.

O déficit fiscal nos 12 meses encerrados em agosto pode ser atribuído ao rombo de R$ 170,145 bilhões do Governo Central (2,63% do PIB). Os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram um superávit de R$ 11,196 bilhões (0,17% do PIB) em 12 meses até agosto.

Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 10,515 bilhões, os municípios tiveram um saldo positivo de R$ 680 milhões. As empresas estatais registraram um resultado positivo de R$ 1,167 bilhão no período.

O setor público consolidado teve gasto de R$ 36,012 bilhões com juros em agosto, após esta despesa ter atingido R$ 28,482 bilhões em julho, informou o Banco Central.

O Governo Central teve no mês passado despesas na conta de juros de R$ 33,710 bilhões. Já os governos regionais registraram gasto de R$ 1,795 bilhão e as empresas estatais, de R$ 507 milhões.

No ano, o gasto com juros subiu de R$ 235,066 bilhões até julho para R$ 271,078 bilhões até agosto (6,26% do PIB).

Em 12 meses, as despesas com juros subiram de R$ 428,191 bilhões para R$ 423,527 bilhões até agosto (6,55% do PIB).

O setor público consolidado registrou déficit nominal de R$ 45,541 bilhões em agosto. Em julho, o resultado nominal havia sido deficitário em R$ 44,620 bilhões e, em agosto de 2016, deficitário em R$ 62,943 bilhões.

No mês passado, o Governo Central registrou déficit nominal de R$ 43,626 bilhões. Os governos regionais tiveram saldo negativo de R$ 1,297 bilhão, enquanto as empresas estatais registraram déficit nominal de R$ 618 milhões.

Em relação ao PIB, o déficit nominal no ano até agosto foi de 7,67%, uma soma de R$ 331,928 bilhões.

Em 12 meses encerrados em agosto, o déficit nominal correspondeu a 8,98% do PIB, com saldo negativo de R$ 581,309 bilhões.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/588264-setor-publico-tem-deficit-primario-de-r-9-529-bilhoes-em-agosto-revela-banco-central.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!