Jornal do Comércio >> Venda de veículos no Brasil cresce 7,8% no ano

O mercado brasileiro de veículos novos segue em recuperação e acumula no ano crescimento de 7,8% em relação a 2016. Até quinta-feira, faltando um dia útil para terminar o mês, as vendas acumuladas superavam 1,6 milhão de unidades, incluindo automóveis, caminhões e ônibus.

Neste mês, até o dia 28, foram vendidos 184,1 mil veículos, 32% a mais em relação a setembro do ano passado, segundo dados preliminares do mercado. No comparativo com agosto, os negócios estão 3,5% melhores, mas, como o mês passado teve mais dias úteis, o resultado final deve ficar negativo, embora a média de vendas diárias deva ser superior.

O crescimento acumulado está muito próximo da projeção para o ano da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). No mês passado, a entidade revisou de 4% para 7,3% a expectativa de alta para o ano, com um total de 2,2 milhões de veículos. Para atingir a previsão, o setor terá de vender em média 195 mil veículos ao mês no último trimestre.

“O Brasil voltou”, disse no início da semana o presidente da Toyota América do Sul, Steve St. Angelo, ao anunciar investimentos de R$ 1 bilhão na produção de um novo carro da marca no País, o Yaris, que chegará ao mercado em meados de 2018

Recentemente confirmaram investimentos a General Motors (R$ 4,5 bilhões até 2020 em três fábricas) e a Volkswagen (R$ 2,6 bilhões até 2019 na unidade do ABC paulista).

Nas últimas semanas também ocorreram vários anúncios de contratações e de fim de medidas de corte de produção, como lay-off (suspensão de contratos) e redução de jornada. Neste ano, as montadoras voltaram a contratar, após três anos de corte de mão de obra. Foram abertas até agosto 5,1 mil vagas.

O setor de caminhões, um dos mais afetados pela crise, também começa a dar sinais de recuperação, embora no acumulado do ano o resultado ainda seja quase 9% inferior ao de 2016, com 35 mil unidades vendidas até quinta-feira. Foram vendidos neste mês 4 234 caminhões, volume 13% maior que o de agosto, e praticamente estável em relação ao mesmo mês de 2016.

Empresas do segmento ainda operam com elevada ociosidade, como a Mercedes-Benz. Ontem, a montadora abriu mais um programa de demissão voluntária (PDV) na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) direcionado aos funcionários que já estão aposentados. A empresa não revelou metas e nem quais são os benefício para quem aderir.

Por outro lado, a concorrente MAN Latin America acaba de anunciar a abertura de 300 vagas na fábrica de Resende (RJ) para iniciar a produção de uma nova linha global de caminhões. A empresa também voltou a operar cinco dias por semana, trouxe de volta pessoal que estava em lay-off e convocou funcionários para horas extras.

Fonte Oficial: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/09/economia/588383-venda-de-veiculos-no-brasil-cresce-7-8-no-ano.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!