Valor >> PDG entrega à Justiça novo plano de recuperação judicial

SÃO PAULO  –  A PDG Realty informou ao mercado na noite desta sexta-feira, por meio de Fato Relevante encaminhado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que apresentou ao juiz da 1ª Vara de Falências de São Paulo o novo plano de recuperação judicial do grupo, solicitando que seja determinado ao administrador judicial que inicie a tomada das providências necessárias para a oportuna convocação de assembleia geral de credores.

A companhia informa que a elaboração do plano reflete ajustes que resultaram de tratativas mantidas entre o Grupo PDG e seus credores ao longo das últimas semanas.

O plano prevê a adoção de novas estratégias de atuação, assim como um novo plano de negócios, podendo definir, dentre outras diretrizes, redução de sua estrutura e seu contingente de colaboradores para redimensionamento de seus custos gerais e administrativos; conclusão dos empreendimentos em andamento; esforços adicionais para a venda da base atual de ativos do Grupo PDG como forma de levantamento de recursos; e exploração do conjunto de terrenos que apresentam elevado potencial de desenvolvimento de novos empreendimentos imobiliários.

O grupo realizará uma reestruturação e equalização de seu passivo relativo aos créditos concursais. Os créditos extraconcursais, apesar de não se submeterem aos efeitos do plano, poderão ser reestruturados em negociações bilaterais. O grupo poderá prospectar e adotar medidas durante a recuperação judicial visando à obtenção de novos recursos, sendo que, caso venham a ser obtidos os referidos novos financiamentos, as obrigações a eles correspondentes terão natureza extraconcursal.

O grupo poderá promover a alienação de UPIs (Unidades Produtivas Isoladas), de bens integrantes de seu ativo circulante ou de bens integrantes de seu ativo não circulante.

De acordo com o plano, as empresas do grupo pretendem concluir e entregar os empreendimentos que já tiveram suas obras iniciadas, bem como consideram a exploração de novos projetos, de forma a apresentar aos credores e demais stakeholders visibilidade sobre a continuidade da ativida empresária do grupo.

O plano confere a determinados credores concursais o direito de escolher, dentre um determinado número de opções oferecidas, a alternativa de recebimento de seus créditos concursais.

Os credores trabalhistas terão seus créditos pagos integralmente, em 6 parcelas mensais, sendo a primeira parcela devida em 180 dias corridos contados da homologação judicial do plano e as parcelas seguintes devidas nos meses subsequentes, sempre respeitado o prazo máximo de 12 meses contados da homologação judicial do plano.

Os créditos trabalhistas de natureza estritamente salarial, até o limite de 5 salários mínimos por credor trabalhista, vencidos nos 3 meses anteriores à data do pedido, serão pagos no prazo de 30 dias corridos da homologação judicial do plano.

Os credores com garantia real poderão eleger a forma de pagamento de seus créditos de acordo com uma das opções: sistema de monetização de ativos imobiliários ou alienação de ativos imobiliários.

A íntegra do Plano pode ser acessado neste link.

Fonte Oficial: http://www.valor.com.br/empresas/5139666/pdg-entrega-justica-novo-plano-de-recuperacao-judicial.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!