Jornal do Comércio >> Fed mantém juros inalterados e vê crescimento econômico sólido nos EUA

O Federal Reserve (Fed, o banco central americano) decidiu manter inalterada a taxa dos Fed funds na faixa entre 1,00% e 1,25% e a taxa de desconto em 1,75%, em decisão tomada de forma unânime. No comunicado da reunião de política monetária, a instituição comenta que a atividade econômica tem aumentado de forma sólida, apesar das rupturas relacionas aos furacões que atingiram os Estados Unidos neste ano. No documento da reunião de setembro, o comitê afirmava que a economia dos EUA estava se expandindo de forma moderada.

“Embora os furacões tenham causado uma queda no número de criação de empregos em setembro, a taxa de desemprego caiu ainda mais”, com o mercado de trabalho continuando a se fortalecer, disse o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês). O comentário dos dirigentes do Fed vem após a primeira estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no terceiro trimestre crescer à taxa anualizada de 3,0%. O comunicado diz, ainda, que os impactos relacionados aos furacões que abalaram o país nos últimos meses vão continuar afetando a atividade econômica, emprego e inflação no curto prazo. No entanto, “experiências anteriores sugerem que as tempestades provavelmente não vão alterar o curso da economia no médio prazo”.

Para o Fed, as condições econômicas devem evoluir de forma a garantir um aperto monetário gradual. Apesar disso, o banco central alertou que os juros devem permanecer “abaixo dos níveis que devem prevalecer no longo prazo por algum tempo”, ressaltando que o caminho da política monetária dependerá da perspectiva econômica conforme informado pelos dados recebidos. Nesta quarta-feira, a instituição manteve as taxas dos Fed funds inalteradas na faixa entre 1,00% e 1,25%, em decisão tomada por unanimidade, enquanto a taxa de desconto foi mantida em 1,75%.

O comunicado do Fomc cita, ainda, que os impactos relacionados aos furacões que abalaram os Estados Unidos nos últimos meses vão continuar afetando a atividade econômica, emprego e inflação no curto prazo. No entanto, “experiências anteriores sugerem que as tempestades provavelmente não vão alterar o curso da economia no médio prazo”, com o mercado de trabalho devendo se fortalecer um pouco mais.

Segundo os dirigentes, os gastos das famílias se expandiram a uma taxa moderada nos EUA, enquanto o crescimento dos investimentos fixos nos negócios subiu nos últimos trimestres. O Fed também comentou que os preços da gasolina se fortaleceram após a passagem dos furacões, o que resultou em uma alta da inflação geral em setembro, apesar do núcleo da inflação, que não inclui preços relacionados a alimentos e energia, ter permanecido fraco. Para o banco central, a inflação anualizada se estabilizará perto da meta de 2% no médio prazo, mas, no curto prazo, permanecerá um pouco abaixo do objetivo, o que apoia a política monetária acomodatícia da instituição, que prevê “um maior fortalecimento das condições do mercado de trabalho e um retorno sustentado” à inflação em 2%.

Sobre a normalização do balanço patrimonial da autoridade monetária, o comunicado do Fomc informou apenas que ele está em curso.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-fed-mantem-juros-inalterados-e-ve-crescimento-economico-solido-nos-eua.br_conteudo/2017/11/economia/594188-fed-mantem-juros-inalterados-e-ve-crescimento-economico-solido-nos-eua.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!