Jornal do Comércio >> Bolsas da Europa operam sem direção clara com balanços e Fed

As bolsas da Europa operam sem direção clara na manhã desta sexta-feira (3), enquanto os investidores digerem balanços corporativos e a indicação de Jerome Powell, pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para o comando do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Às 7h38min (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 operava em leve alta de 0,17%, aos 395,58 pontos.

A temporada de balanços corporativos na Europa segue a todo vapor. Nesta madrugada, o banco francês Société Générale informou que o lucro líquido do terceiro trimestre caiu 15% ante igual período de 2016, para 932 milhões de euros. Na mesma comparação, o ganho da Air France-KLM foi de 1,5%, para 552 milhões de euros. Com os resultados, as ações das companhias caíam, respectivamente, 3,00% e 7,22%.

Já os papéis da Renault subiam 4,93%, após a empresa anunciar a recompra de ações que estavam em posse do governo da França. Assim, a Bolsa de Paris subia há pouco 0,02%, para 5.511,67 pontos.

Na Espanha, as ações da Repsol caíam 0,53%, após a companhia anunciar lucro líquido de 527 milhões de euros no terceiro trimestre de 2017. Além disso, os investidores acompanham os desdobramentos da crise do governo central com a Catalunha. Nesta quinta-feira, a Justiça determinou a prisão do ex-presidente regional, Carles Puigdemont, e de ex-ministros. Assim, a Bolsa de Madri recuava no horário acima 1,08%, para 10.344,00 pontos.

A Bolsa de Milão operava em alta de 0,01%, aos 23.049,30 pontos, e a de Lisboa caía 0,99%, para 5.393,03 pontos.

Como pano de fundo das negociações desta sexta-feira em todo o planeta estão os desdobramentos da economia dos Estados Unidos. A escolha de Jerome Powell não surpreendeu o mercado, que espera a manutenção do tom gradualista na condução da política monetária americana. Por sua vez, a reforma tributária proposta por Trump decepcionou parte dos analistas, que esperavam que o governo americano sinalizasse a disposição de abrir mão de receitas de forma mais agressiva. O mercado espera ainda os números do relatório de emprego (payroll) de outubro, que sai às 10h30min.

Em se tratando de indicadores macroeconômicos, na Europa o dia foi bastante fraco. Destaque apenas para o índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços do Reino Unido, que avançou de 53,6 em setembro a 55,6 em outubro, de acordo com a IHS Markit. Analistas ouvidos pelo Wall Street Journal previam queda a 53,4.

Há pouco, a Bolsa de Londres subia 0,21%, para 7.571,40 pontos. Apoiada no avanço do minério de ferro nos últimos dias, as ações da mineradora Rio Tinto subiam 0,23%. Já a libra operava em leve alta a US$ 1,3071, um dia depois de o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) anunciar a elevação dos juros de 0,25% para 0,50%, a primeira elevação em uma década.

No mercado de câmbio, destaque também para a queda do euro em relação ao dólar. A moeda comum recuava para US$ 1,1647, apoiando o avanço da Bolsa de Frankfurt, que subia para 13.483,58 pontos (+0,32%).

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-bolsas-da-europa-operam-sem-direcao-clara-com-balancos-e-fed.br_conteudo/2017/11/economia/594408-bolsas-da-europa-operam-sem-direcao-clara-com-balancos-e-fed.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!