Jornal do Comércio >> Bolsas da Europa fecham sem direção, com indicadores e questões políticas

Os mercados acionários europeus fecharam próximos da estabilidade e sem direção única nesta segunda-feira, 6, monitorando eventos políticos na região, notícias corporativas e indicadores da zona do euro e da Alemanha. A viagem do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, à Ásia também reteve as atenções dos investidores.

O índice pan-europeu Stoxx-600 fechou em alta de 0,18% (-0,73 ponto), aos 396,79 pontos.

Em um dia sem um único assunto catalisador de atenções, as bolsas europeias mantiveram o viés de leve baixa desde o início do pregão, após os ganhos da semana passada. Entre os destaques negativos, o setor de telecomunicações perdeu 1,25%% depois que Sprint e T-Mobile desistiram de um acordo de confusão sobre o qual discutiam há meses.

Entre os indicadores divulgados no dia, a IHS Markit informou que o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, que engloba indústria e serviços, caiu de 56,7 em setembro para 56,0 em outubro, mas superou o esperado por analistas, de recuo para 55,9. Apenas o PMI de serviços passou de 55,8 para 55,0 em outubro, enquanto o mercado previa queda ligeiramente maior, para 54,9. Já o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da zona do euro avançou 0,6% em setembro ante agosto, enquanto analistas esperavam alta menor, de 0,4%.

Na Alemanha, o PMI composto recuou de 57,7 em setembro para 56,6 em outubro, de acordo com a IHS Markit, enquanto somente o PMI de serviços passou de 55,6 para 54,7, abaixo do esperado por analistas (55,2). Já as encomendas à indústria subiram 1,0% na comparação mensal de setembro, surpreendendo analistas, que previam queda de 1,3%. Na bolsa de Frankfurt, o índice DAX fechou em baixa de 0,07%, aos 13.468,79 pontos, com a Deutsche Telekom perdendo 3,25%.

No âmbito político, pesquisas de boca-de-urna indicam uma vitória da coalizão de centro-direita do ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi nas eleições regionais na Sicília. De acordo com o instituto EMG Acqua, os eleitores sicilianos teriam eleito Nello Musumeci para o comando da região, enquanto o candidato do populista Movimento 5 Estrelas, Giancarlo Cancelleri, teria obtido entre 34% e 37%. Apesar da derrota, o movimento populista mostra força para as eleições gerais italianas do próximo ano, e, com isso no radar, o índice FTSE-Mib fechou em queda de 0,05%, aos 23.002,85 pontos.

Na Espanha, as tensões em relação à Catalunha arrefeceram, mas o líder deposto da região, Carles Puigdemont, ainda está na Bélgica, onde diz ser alvo de uma “brutal ofensiva judicial” por parte do governo central de Madri. O índice Ibex-35, da bolsa de Madri, caiu 0,40%, aos 10.316,50 pontos. Entre os bancos, o BBVA cedeu 0,94% e o Banco de Sabadell recuou 1,13%.

Em Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,03%, aos 7.562,28 pontos, apoiado por ações de companhias ligadas a commodities. As mineradoras BHP Billiton (+2,56%) e Rio Tinto (+1,30%) contribuíram para os ganhos, assim como as petroleiras BP (+0,83%) e Royal Dutch Shell (+0,94%). O índice CAC-40, da bolsa de Paris, perdeu 0,19%, aos 5.507,25 pontos. Em Lisboa, o índice PSI-20 cedeu 0,35%, aos 5.349,73 pontos. 

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-bolsas-da-europa-fecham-sem-direcao-com-indicadores-e-questoes-politicas.br_conteudo/2017/11/economia/594752-bolsas-da-europa-fecham-sem-direcao-com-indicadores-e-questoes-politicas.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!