Jornal do Comércio >> Ação no Brasil contra Petrobras prevê receber bilhões, diz advogado

O advogado André de Almeida, do escritório de advocacia Almeida Advogados, quer estender para os acionistas brasileiros os mesmos benefícios que, acredita, irá conseguir para os investidores norte-americanos da estatal.

Autor da “class action” nos EUA que deverá ser julgada até o final do ano, segundo Almeida, o advogado se aliou aos minoritários da Aidimin (Associação dos Acionistas Minoritários) para garantir a indenização também no Brasil.

Nesta segunda-feira (6), a Petrobras informou que a Corte Federal de Apelações do Segundo Circuito (United States Court of Appeals for the Second Circuit) deferiu o pedido feito pela companhia de suspensão da “class action”, que permanecerá suspensa até que a Suprema Corte norte-americana decida se apreciará o recurso da Petrobras.

“A Petrobras vai gastar e já está gastando bilhões de dólares para pagar os acionistas de lá (EUA), e até então não existia discussão judicial no Brasil para defender os minoritários”, disse Almeida ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Ele argumenta que a Petrobras já começou a fechar acordos individuais com acionistas dos EUA e provisionou recursos para esses pagamentos. “A ideia é proteger o minoritário brasileiro para que eles também sejam ressarcidos”, explica.

No Brasil, além dos acionistas minoritários que compram ações no mercado, a Petrobras possui milhares de acionistas que participaram da operação de capitalização da empresa por meio do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). A estimativa de indenização para os acionistas norte-americanos gira em torno dos US$ 7 bilhões, segundo Almeida, valor não confirmado pela companhia.

O mesmo grupo, Aidimin, perdeu uma ação civil pública movida contra o empresário Eike Batista e acionou, com o mesmo instrumento, processo contra os irmãos Batista, da J&F Investimentos, ainda sem definição.

Almeida, no entanto, está otimista coma ação civil pública contra a Petrobras. Ele afirma que a empresa foi agente da corrupção e não vítima, “por não seguir as mínimas regras de governança”, acusa o advogado. As perdas relativas à corrupção reveladas pela operação Lava Jato deram um prejuízo já reconhecido pela Petrobras de R$ 6,2 bilhões em desvios de obras.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-acao-no-brasil-contra-petrobras-preve-receber-bilhoes-diz-advogado.br_conteudo/2017/11/economia/594850-acao-no-brasil-contra-petrobras-preve-receber-bilhoes-diz-advogado.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!