Jornal do Comércio >> Reforma tributária nos EUA pesa e bolsas de Nova Iorque fecham em baixa

As preocupações dos investidores em torno da reforma tributária nos Estados Unidos influenciaram negativamente os mercados acionários americanos, que abandonaram parte dos ganhos dos últimos dias e fecharam em queda nesta quinta-feira (9).

O índice Dow Jones fechou em baixa de 0,43%, aos 23.461,94 pontos; o S&P 500 recuou 0,38%, aos 2.584,62 pontos; e o Nasdaq perdeu 0,58%, aos 6.750,05 pontos.

A divisão no Congresso americano quanto à reforma no sistema de impostos dos EUA se mostrou ainda mais visível nesta quinta-feira. De um lado, senadores republicanos pretendem que a redução no tributo para empresas, dos atuais 35% para 20%, ocorra somente a partir de 2019. Do outro, estão Trump e deputados republicanos, lado a lado, desejando que o corte ocorra logo em 2018, quando se espera que o projeto já esteja aprovado e sancionado.

Além do imposto corporativo, os projetos da Câmara e do Senado destoam, também, em relação à quantidade de faixas de imposto de renda. Enquanto a medida elaborada pelos senadores republicanos prevê a manutenção das atuais sete faixas de imposto de renda, a proposta da Câmara aponta para o corte de sete para quatro. O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, comentou que os dois projetos são “fundamentalmente semelhantes”, mas ressaltou que Trump deseja que a redução do tributo para empresas se dê “imediatamente”.

Ainda durante a tarde, antes de o plano no Senado ser divulgado, o senador republicano Roger Wicker (Mississippi) tentou colocar panos quentes no impasse em torno da medida tributária e disse que a versão final pode apresentar um corte imediato no imposto corporativo, como Trump deseja.

“Muitos dos ganhos recentes nas ações foram motivados pela agenda reformista do Partido Republicano. No entanto, a incerteza quanto à mudança nos tributos pode levar empresas e consumidores a segurar os gastos, e a queda da quinta-feira pode ser apenas a ponta do iceberg”, comentaram os estrategistas do Benzinga, em nota.

Não à toa, a queda de braço entre os dois lados foi observada lance a lance pelos investidores, que optaram por corrigir o forte movimento de alta visto nas últimas semanas nas bolsas de Nova Iorque. Bancos e papéis de tecnologia estiveram à frente do movimento, e, no fim da tarde, o Bank of America caía 1,12% e o Wells Fargo cedia 0,48%. Entre as gigantes de tecnologia, o Google perdeu 1,00% e a Netflix recuou 1,29%.

Fonte Oficial: https://worldcambio.com.br/wp-content/uploads/2017/11/jornal-do-comercio-reforma-tributaria-nos-eua-pesa-e-bolsas-de-nova-iorque-fecham-em-baixa.br_conteudo/2017/11/economia/595670-reforma-tributaria-nos-eua-pesa-e-bolsas-de-nova-iorque-fecham-em-baixa.html.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!